Notícias em Destaque

PARTICIPE E COMENTE!

Um alerta importante sobre dietas radicais

Um alerta importante sobre dietas radicais

Nem tudo que reluz é ouro: Seja você diabético ou não, na hora de perder peso, evite as dietas radicais.

Gliconline ficou mais fácil, agora é Glic!  Recurso gratuito para melhorar o controle glicêmico

Gliconline ficou mais fácil, agora é Glic! Recurso gratuito para melhorar o controle glicêmico

Resultado de um estudo realizado no Hospital das Clínicas de São Paulo, o Gliconline foi o primeiro aplicativo no mundo a calcular dose de insulina.

Meu vizinho é mais obeso que eu e não tem diabetes... Por que eu?

Meu vizinho é mais obeso que eu e não tem diabetes... Por que eu?

Muitos médicos já ouviram perguntas como essas em seus consultórios ao dar o diagnóstico de diabetes a um paciente.

2017, um ano cheio de DIANOVIDS (novidades em diabetes). Planeje-se!

2017, um ano cheio de DIANOVIDS (novidades em diabetes). Planeje-se!

Durante o ano de 2016 exploramos resultados de pesquisas, terapias, medicamentos e tecnologias que facilitam, ou facilitarão o controle da glicemia, melhorando, assim, a qualidade de vida de quem tem diabetes.

O fim da necessidade de jejum para a realização exames de sangue

O fim da necessidade de jejum para a realização exames de sangue

Esta dúvida é frequente e é uma pergunta inevitável após a entrega das requisições dos médicos aos pacientes. Ao longo dos anos foi se consolidando a rotina da obrigatoriedade do jejum para a realização de exames bioquímicos.

Existe relação entre diabetes, obesidade e depressão?

Existe relação entre diabetes, obesidade e depressão?

A depressão é, sem dúvida alguma, um dos males do século XXI. Somente nas últimas décadas foi documentado um aumento expressivo na quantidade de pessoas acometidas por ela.

Enfrentando os desafios do DM1 em Tenra Idade

Enfrentando os desafios do DM1 em Tenra Idade

Olá, Meu nome é Ângela Matos. Há 2 meses descobrimos que nosso filho de 2 anos tem diabetes tipo 1...

Sucralose em debate: O que devemos saber?

Considerando os vários comentários negativos sobre o adoçante sucralose recentemente veiculados nas mídias sociais, o Departamento de Nutrição da SBD vem se posicionar sobre a questão. Um artigo científico publicado em 2015 (1) por pesquisadores da Unicamp em um periódico online pertencente ao grupo Nature, alertou para os potenciais riscos do uso da sucralose, especificamente, em alimentos e sobremesas quentes, como chás, cafés, bolos e tortas. Os principais resultados do estudo indicam que, quando aquecido, o adoçante torna-se quimicamente instável, liberando compostos potencialmente tóxicos e cumulativos ao organismo humano.

Derivado da sacarose, o nosso açúcar de mesa, a sucralose é o adoçante mais consumido no mundo e liberado irrestritamente pelos principais órgãos de segurança alimentar, incluindo o Food and Drug Administration (FDA), dos Estados Unidos, o Joint Expert Committee on Food Additivies (JECFA), da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Brasil. No estudo em questão, foi demonstrado que, quando aquecida, a sucralose torna-se quimicamente instável, liberando hidrocarbonetos policíclicos aromáticos clorados (HPACs), compostos tóxicos, cumulativos no organismo humano e potencialmente cancerígenos. Isso acontece por conta de uma reorganização das moléculas, quando elas são aquecidas. Os HPACs estão associados ao aumento da incidência de diversos tipos de canceres no homem. A exposição humana aos HPACs se dá principalmente através da contaminação ambiental por meio da fumaça gerada a partir da queima de combustíveis fósseis.

Estudos anteriores evidenciaram a hipótese de que a sucralose não seria adequada para processos que envolvem...

O Impacto da fé no tratamento do Diabetes

O diabetes é frequentemente uma doença insidiosa que não se manifesta explosivamente mas que, uma vez identificado, torna-se uma condição permanente que pode ser controlada mas ainda não pode ser curada. O mau controle do diabetes, decorrente de tratamentos inadequados e de adesão apenas parcial às recomendações médicas é o fator responsável pelas complicações crônicas da doença.

Nova diretoria da SBD para o biênio 2016/2017

Em cerimônia realizada em 12 de janeiro de 2016 ocorreu a posse da nova Diretoria da SBD para o biênio de 2016/2017 com os objetivos de dar continuidade às ações que vinham sendo desenvolvidas pela equipe do ex-presidente Dr. Walter Minicucci e, também, para o planejamento e a implementação de novas estratégias visando a melhoria no atendimento às pessoas com diabetes através de projetos educacionais e assistenciais capazes de reduzir significativamente a morbidade e a mortalidade relacionadas ao diabetes e suas complicações.

Retinopatia diabética: aprenda a manter a visão saudável

O que é retinopatia diabética?

Retinopatia diabética é uma condição que ataca os olhos das pessoas com diabetes mellitus, mais especificamente a retina. A retina é a camada mais interna do olho e é responsável por transformar as imagens que enxergamos em impulsos elétricos que são levados ao nosso cérebro.

A retinopatia diabética é uma das principais causas de perda de visão e cegueira e quanto mais altos os níveis de glicose (açúcar no sangue), maior a chance de se desenvolver lesões na retina.

Anuncie

Baixe o Mídia Kit da SBD, nele você encontrará todas as informações disponíveis para a veiculação de anúncios publicitários em nosso portal.

 

Fale Conosco

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-011 - São Paulo - SP

 

(11) 3846-0729
secretaria@diabetes.org.br

Expediente

 

Acesse nossas redes:

Toggle Bar

Showcases

Background Image

Header Color

:

Content Color

: