Associação das medidas antropométricas de localização de gordura central com os componentes da Síndrome Metabólica em uma amostra probabilística de adolescentes de escolas Públicas.Marlene Merino Alvarez, Ana Carolina R. e Vieira, Rosely Sichieri, Gloria V. da Veiga.Arq Bras Endocrinol Metab 2008;52/4 (649:657).

O acúmulo de gordura central está associado à presença de alterações metabólicas que indicam risco cardiovascular, as quais são descritas como componentes da síndrome metabólica (SM) cujo aumento da prevalência tem sido observado em jovens obesos. . Em estudos epidemiológicos são utilizadas medidas antropométricas, tais como circunferências da cintura (CC), razão cintura/quadril (RCQ), razão cintura/estatura (RCE)  para avaliar gordura corporal na região central devido a sua praticidade e baixo custo já que, métodos mais sensíveis  como a tomografia computadorizada e  a ressonância magnética são inviáveis nesse tipo de estudo.

Em adolescentes, a questão parece ser ainda mais complexa. A RCQ pode ser uma medida inapropriada para esta faixa etária já que a largura pélvica modifica-se rapidamente durante o estirão do crescimento e o índice pode estar refletindo mais essa variação do que, propriamente, o acúmulo de gordura. Por outro lado, a CC foi considerada melhor índice antropométrico para predição de fatores de risco para doença cardiovascular  em adolescentes americanos.  Um outro indicador, também sugerido, é a relação cintura/estatura, teoricamente um bom marcador para  monitorar  excesso de peso em jovens, porque  considera o crescimento tanto da cintura quanto da estatura. Além dos diferentes marcadores, diversas metodologias e nomenclaturas têm sido utilizadas para descrever as medidas antropométricas que estimam gordura central, sobretudo a CC para qual já foram citados,14 locais diferentes para sua aferição o que compromete a comparabilidade dos dados.

Foi desenvolvido um estudo com amostra probabilística de 610 adolescentes de 12 a 19 anos, estudantes da rede de ensino estadual, da cidade de Niterói, Rio de Janeiro, com objetivo de avaliar as medidas antropométricas  que estimam localização de gordura central e sua associação com os componentes da síndrome metabólica em adolescentes, verificando se este efeito é independente do índice de massa corporal (IMC) e do % de gordura corporal (%GC).

 Foram aferidos o peso (kg), estatura (cm), obtido o índice de massa corporal (IMC = peso/estatura²), as circunferências da cintura (na menor circunferência troncal), do quadril (na circunferência máxima sobre as nádregas) e abdominal (na cicatriz umbilical). Calculou-se a  RCQ (circunferência da cintura em cm / circunferência do quadril em cm) e a RCE (circunferência da cintura em cm / estatura em cm ).

A composição corporal foi estimada por meio da bioimpedância elétrica, utilizando-se o analisador de composição corporal TANITA TBF – 305 (sistema perna a perna). A aferição da pressão arterial sistólica (PAS) e diastólica (PAD), foi realizada com um manômetro digital. Foram analisadas as dosagens de glicose, HDL-C e triglicerídeos pelo método enzimático automatizado. Foram obtidos o LDL-C (Low-density lipoprotein Cholesterol) e o  HOMA-IR (Homeostatic Model Assessment – Insulin Resistance). Avaliou-se a associação entre as variáveis antropométricas de adiposidade central e as variáveis bioquímicas e PA  por meio da regressão linear bivariada e múltipla, ajustada pelas variáveis IMC ou percentual de gordura corporal e idade. Para todas as análises levou-se em consideração a expansão da amostra e o efeito do desenho da amostra por conglomerado, utilizando-se o programa estatístico SAS.

No estudo foram encontradas associações das diferentes medidas  antropométricas de acúmulo de gordura central com os componentes da SM, que variaram com o gênero. Verifica-se nos meninos que apenas as variáveis  CC e RCE mantiveram a associação positiva e significativa com  triglicerídeos. O efeito da CC sobre a variação da PAS também se manteve positivo e significativo e independente do % de gordura, mas não do IMC.  Para meninas quase todas as medidas, com exceção da RCQ, mantiveram a associação positiva com PAS,  independente de % de GC, mas não independente de IMC, assim como se verificou para CA com HOMA. Dentre as medidas antropométricas a CC foi a que apresentou melhor desempenho e a RCQ foi a pior medida de associação, não apresentando efeito significativo para nenhuma das variáveis investigadas.

Conclui-se que a CC foi a melhor medida de localização de gordura central associada  aos fatores de risco para doença cardiovascular nos adolescentes avaliados, particularmente para triglicerídeos, evidenciando-se a importância da aferição desta medida na prática clínica  e em estudos de triagem de adolescentes em risco.

VOLTAR

Informações do Autor

Dra. Marlene Merino
Nutricionista da Universidade Federal Fluminense
Doutora em Ciências da Nutrição IN-UFRJ
Coordenadora do departamento de Metabologia e Nutrição da Sociedade Brasileira de Diabetes 2014/2015