Prezado Profissional de Saúde:

Tendo em vista o relato de ocorrência de casos de cetoacidose diabética em pacientes tratados com inibidores da SGLT2, as três empresas fabricantes de produtos dessa classe terapêutica (Janssen, AstraZeneca e Lilly) decidiram pela divulgação de um comunicado especial, esclarecendo os aspectos mais importantes sobre o assunto.

O propósito dessa comunicação oficial é o de informar aos profissionais de saúde sobre uma nova condição de segurança referente ao uso de medicamentos de prescrição contendo canagliflozina, dapagliflozina ou empagliflozina, que são inibidores do cotransportador 2 de sódio e glicose (SGLT2) aprovados como agentes anti-hiperglicemiantes orais para o tratamento de pacientes com diabetesmellitus tipo 2.

A Sociedade Brasileira de Diabetes avalia como uma postura ética e necessária a conduta adotada pelas empresas fabricantes ao proporcionar oportunidade de esclarecimento de questões importantes relativas à segurança dos fármacos utilizados pela população diabética.

São Paulo, 22 de julho de 2015

DR. WALTER J. MINICUCCI

PRESIDENTE DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES

 

Leia carta na íntegra: Clique Aqui

Baixe a bula dos produtos envolvidos:

• INVOKANA® (canagliflozina)

FORXIGA® (dapagliflozina)

• JARDIANCE® (empagliflozina)

 

VOLTAR