A preocupação com a estética corporal, a princípio, parece ser a principal causa para o estímulo das práticas saudáveis no mundo atual, contudo o conceito da alimentação saudável se originou nos estudos científicos associados ao aumento da longevidade com qualidade de vida. Nas doenças crônicas, tais como Diabetes e Hipertensão Arterial, a alimentação saudável passou a ser um componente essencial para prevenção e tratamento.

Embora a dieta mediterrânea seja mundialmente conhecida pelos aspectos nutricionais positivos existentes na sua composição,  outras culturas como a brasileira também possuem vantagens nutricionais, como nossa tradicional mistura “Arroz com feijão” que possui a combinação perfeita de aminoácidos (proteínas), quando consumidos na proporção 1:3, respectivamente para arroz e feijão. Isso se justifica porque os aminoácidos que são limitantes em cada um dos alimentos isolados são complementados quando misturados.

O cardápio saudável brasileiro inclui muitos itens tradicionalmente consumidos, por exemplo o tradicional cafezinho (com adoçante), que pode ser misturado com leite (desnatado para adultos) e acompanhado pelo pão francês com margarina no café da manhã e lanche. A fruta tropical (com farelo de aveia) é ideal para o meio da manhã e sobremesas.  No almoço e jantar o arroz com feijão complementado com  carne/frango/peixe (grelhado/assado) e salada de legumes/verduras. Para ceia algo leve para dormir como vitamina de frutas ou mingau de aveia. Nesse exemplo foi possível atender também as recomendações do Ministério da Saúde (5 porções de frutas/verduras/legumes, comer 3/3h e ainda atingir a quantidade de cálcio e fibras, dentre outros). Vale ressaltar a importância de determinar as quantidades de acordo com a idade, sexo e atividade física para se atingir as necessidades nutricionais individualizadas.

De propósito ficaram ausentes do exemplo as temidas “bobagens” que também podem fazer parte de uma alimentação saudável, porém em quantidades muito pequenas (até 10% do total calórico). A moderação no consumo desses alimentos é fundamental para se ter uma vida longa e saudável, especialmente quando se tem uma doença crônica, tal como Diabetes. Sabemos que conceituar alimentação saudável é bastante complexo quando se amplia o olhar para além da ciência. O ideal seria aliar o contexto cultural/psicossocial aos aspectos nutricionais dos alimentos. Esse é nosso desafio no dia-a-dia. Vida saudável a todos!

Dra Marlene Merino Alvarez
Nutricionista do Departamento de Nutrição da SBD 
e da Universidade Federal Fluminense (UFF)

VOLTAR

Informações do Autor