Insulina no diabetes mellitus tipo 2: Dez razões para não ter medo


Dr. Mateus Dornelles Severo
CREMERS 30.576
Médico Endocrinologista
Mestre em Endocrinologia/UFGRS

Quando falamos de diabetes mellitus, o tipo 2 é disparado o mais comum. No início do quadro, o diabetes tipo 2 pode ser tratado com mudanças no estilo de vida, como alimentação adequada, exercícios físicos e perda de peso, associadas ou não a medicamentos por via oral, principalmente. Contudo, grande parte dos pacientes diabéticos tipo 2 precisarão fazer uso de insulina em algum momento. Isso não é motivo para pânico, conforme veremos a seguir nos dez “medos” mais comuns.

Medo 1: A injeção de insulina dói.

Hoje temos disponíveis no mercado, seringas e canetas com agulhas extremamente finas e curtas. Com esses dispositivos e com uma técnica de aplicação adequada, o desconforto causado pela picada é mínimo.

Medo 2: Começar insulina é sinal de que o diabetes está piorando.

O diabetes é uma doença crônica e progressiva, isto é, não tem cura e piora lentamente com o tempo. Contudo, o uso da insulina visa justamente conter a progressão das complicações do diabetes como cegueira, problemas renais e amputações. Logo, não iniciar a insulina no momento oportuno é que pode piorar o diabetes.

Medo 3: Usar insulina é sinal de que o tratamento com outros medicamentos não foi feito corretamente.

Independente de se ter usado corretamente a medicação, o diabetes pode progredir. Isto acontece porque as células beta do pâncreas, que produzem insulina, perdem função a medida que o tempo passa.

Medo 4: Insulina causa hipoglicemias.

A insulina pode fazer a glicose baixar demais e isso causar sintomas desconfortáveis. Mas felizmente, pacientes que seguem as recomendações alimentares e fazem corretamente o monitoramento da glicemia na ponta do dedo, não costumam ter crises de queda de glicose. Além disso, a hipoglicemia pode ser prontamente revertida com tratamento apropriado.

Medo 5: O uso da insulina atrapalha a rotina diária.

Hoje, com canetas pequenas e fáceis de carregar, usar insulina pode ser até mais simples do que ter que tomar vários comprimidos diferentes por dia.

Medo 6: A insulina diminui a qualidade de vida.

Na realidade, a insulina melhora muito a qualidade de vida, já que com o melhor controle da glicemia, a sensação de energia e bem-estar é maior. Até o sono melhora!

Medo 7: O uso de insulina causa complicações no diabético.

Aqui chegamos a um ponto interessante. Muitos pacientes, por preconceito ou por desconhecimento, acabam demorando demais a receber tratamento com insulina. Neste tempo, as complicações do diabetes se instalam. Quando a insulina é iniciada atrasada, o paciente e familiares tem a impressão de que as complicações se associaram ao uso desta, quando na verdade, foram causadas pelo tratamento inapropriado. Isto é, a demora no início da terapia com insulina é que causa complicações.

Medo 8: Usuários de insulina são tratados com preconceito ou de maneira diferente.

A maneira com um paciente diabético é tratado por familiares e amigos é melhor quanto maior for o conhecimento e o diálogo com estas pessoas. Falar abertamente ajuda a esclarecer dúvidas daqueles que não conhecem a doença.

Medo 9: Insulina engorda.

Comida e falta de atividade física engordam. Apesar do uso de insulina se associar a ganho de peso, quando a alimentação e exercícios são colocados na rotina, esse efeito indesejável pode ser minimizado.

Medo 10: Existem tratamentos mais naturais para o diabetes.

Insulina é o tratamento mais natural para o diabetes, já que nada mais é do que a reposição de um hormônio que o organismo normalmente produz e que está em falta absoluta ou relativa.

Adaptado de UpToDate OnLine

VOLTAR

Você não tem permissão para enviar comentários

Comentários  

nair aparecida sanhes frezza 05-06-2015 10:47
estou com diabetes tipo 2 e no momento tomo trayenta duo e forxiga mas nao consigo controlar sra que dveria ir para insulina tenho resistido a isso mas depois que li os10 manula acho que seria melhor mas ainda teho medo
Darci 16-04-2015 10:49
Dr. Mateus, hoje ao me levantar a minha glicose estava em 390, isso já se tornou constante. Me sinto sem disposição e muito mal durante o dia. Quando vou ao médico ele fica experimentando medicamentos e permaneço do mesmo jeito, ou o medicamento me faz mal e eu não consigo nem me exercitar.
Eu posso pedir o uso da insulina?
Mateus Dornelles Severo 05-04-2015 16:54
Prezado Nelson,
o Conselho Federal de Medicina veda ao médico qualquer forma de atendimento que não seja o presencial. Sugiro que você procure um bom médico endocrinologist a para o acompanhamento do seu diabetes.
Nelson T 01-04-2015 10:06
Tenho 48 anos e descobri por acaso ser diabético há 3 anos. Urinava muito e meus pés e mãos estavam dormentes. Em um rápido exame, minha glicose deu 300 em jejum. Iniciei um tratamento com três doses de metformina e glibencamida sem qualquer melhora. Acompanhado por um endócrino e uma nutricionista, passei a fazer exercícios regularmente e dieta espartana sem ingestão de carboidratos e açúcares, além de dois comprimidos de Glifage XR500 e 20 doses de Humulin R e 5 de Humulin N antes das refeições. Sem sucesso! Há 8 meses venho tomando 25 doses de Levemir e 10 de Novorapid três vezes ao dia e andando uma hora dia sim, dia não. Evito arroz e massas, como pela manhã duas fatias de pão integral associado a algum tipo de proteína, almoço grelhados e saladas, evito até frutas, como grãos tipo nozes e minha glicose, baixa para no máximo 140. Já chegou a 400 quando não me cuidei e hoje a média é de 180. Não sei mais o que fazer. Tenho neuropatias que considero grave, se me corto acidentalmente eu perco a sensibilidade da área, viagra já não é suficiente para o meu problema. Estou ficando deprimido com a situação. Tenho glaucoma, aplico diariamente o Xalacon mas percebo que minha vista tem piorado. Já fui a quatro endocrinologist as sem que o meu problema seja resolvido. Pode me ajudar?
yesenia márquez 07-11-2014 21:13
muito bom...
SEBASTIANA LEITE NUNES 07-11-2014 19:30
Sou diabética há 20 anos. Me falaram que tenho diabetes MODE. Eu não sei o que isso significa. Tenho tomado a medicação que me receitam, mas a cada dia, noto que a diabete aumenta de intensidade, chegando ás 24 horas até 327 pontos e, aí, tomo insulina rapid que baixa em jejum para 112\ 127 . e se repete dia a dia.. Para mim já é um drama que detesto. Ultimamente eu tomava HUMULIN 70\30, MAS PASSEI a engordar muito e também tive queda de glicose 34 e fui sem sentido 5 vezes para o Hospital para recuperação. Agora estou tomando LEVEMIR 2 VEZES POR DIA E MAIS LIXUMIA E a virou sanfona: baixa e sobe muito durante as 24 horas. Sou obrigada a tomar LEVEMIR RAPID.para baixar como falei no início.Nao posso ir ao RGS para consultar-me com o Sr. De-me uma luz. Muito agradecida.
José Neto Alves 06-11-2014 16:46
Excelente artigo, bastante didático.

Obrigado,

José Neto.
Karina Alvarenga Ribeiro 02-11-2014 10:35
Parabenizo o Dr Mateus pelo brilhante texto e de simples compreensão para o paciente.

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

!-

secretaria@diabetes.org.br

-->

SBD nas Redes