Prezados Amigos,

Estamos chegando ao final do processo de incorporação da insulina análoga de ação rápida, na lista do SUS. Os próximos passos são a elaboração do Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêutica (PCDT) de Diabetes Mellitus tipo 1 e a aquisição e disponibilização das insulinas análogas de ação rápida. No IX Fórum de Medicamentos, realizado no Senado Federal, no dia 21/09/2017 ouvimos do Sr Antonio Raimundo Barbosa, representante do Ministério da Saúde, que há recursos alocados para a compra destas insulinas para dois meses de 2017.

Em relação ao PCDT de DM tipo 1 estamos no momento de responder à Consulta Pública (CP) nº 51 da CONITEC. A CP é uma ferramenta que permite a participação da sociedade (profissionais de saúde, pacientes e seus familiares, instituições acadêmicas, entidades representativas de pacientes, enfim pessoas físicas e jurídicas) em tomadas de decisão para a inclusão de medicamentos no SUS. Esta CP é sobre o protocolo que estabelece a padronização terapêutica para pacientes com DM tipo 1 utilizando a insulina humana NPH e a insulina análoga de ação rápida.

PARTICIPEM!!!!!! Temos até o dia 17/10 para expressarmos a nossa opinião sobre a proposta de PCDT de DM tipo 1.

Sugerimos:

1) A leitura da Proposta de PCDT da CONITEC - Clique aqui!

2) O envio das suas contribuições, clicando em Formulário.

Aspectos importantes a serem discutidos na Proposta de PCDT da CONITEC:

- O PCDT pode ser utilizado como material educativo dirigido aos profissionais de saúde. Portanto, ter conteúdo que capacite esses profissionais em insulinoterapia intensiva é essencial para mudarmos o cenário do DM1 no Brasil;

- Discutir a sugestão da CONITEC de substituição da insulina análoga de ação rápida pela humana regular quando mulheres com DM tipo 1 engravidarem;

- Não valorização da equipe multiprofissional e do processo de educação em diabetes para pacientes e seus familiares;

- Ausência de informações sobre como prescrever e ajustar parâmetros importantes da insulinoterapia intensiva como contagem de carboidratos (bolus prandial), objetivos glicêmicos e fator de correção ou fator de sensibilidade à insulina (bolus de correção) para que os pacientes possam ser educados quanto ao ajuste de dose de insulina análoga de ação rápida de acordo com a alimentação e o nível da glicemia;

- Não está descrito a apresentação de insulina análoga de ação rápida a ser adquirida e o dispositivo para administração de insulina.

Karla Melo, MD, PhD
Representante da SBD para os Projetos de Insulinas Análogas

Dr Luiz A. A. Turatti
Presidente da SBD

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

!-

secretaria@diabetes.org.br

-->

SBD nas Redes