Segurança da olimpíada cria restrições para pessoas com diabetes


Dra. Solange Travassos
Mestre e Doutora em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes

Dr. Augusto Pimazoni Netto
Coordenador do Grupo de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim – Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Ao Comitê Olímpico,

Não há dúvidas de que um evento como as Olimpíadas aumenta o risco de atos de terrorismo, razão pela qual medidas preventivas severas precisam ser adotadas. A Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) entende esta necessidade, mas está preocupada com as dificuldades que as pessoas com diabetes, em especial as usuárias de insulina, possam ter para frequentar as competições olímpicas.

Nos Jogos Pan Americanos de 2007, recebemos um relato de paciente, com diabetes tipo 1, que precisou entregar sua insulina e aparelho medidor de glicose na entrada do estádio e só teve acesso ao material no final do evento. Semana passada, chegou ao nosso conhecimento que vários voluntários diabéticos estavam tendo dificuldades para entrar nas instalações dos jogos com seus equipamentos e alimentos.

Com o objetivo de proteger a saúde das pessoas com diabetes, a SBD está divulgando em seu site e redes sociais os itens com acesso restrito aos locais das competições e a recomendação para que pacientes diabéticos, em uso destes itens, tenham em seu poder receitas e/ou atestados médicos que comprovem a necessidade dos mesmos. Entretanto, esta medida tem alcance limitado. A recomendação médica para muitos pacientes com diabetes tipo 1, os quais dependem de insulina para viver, é que tenham SEMPRE em seu poder: insulina, aparelhos para sua aplicação( caneta, seringa ou bomba de infusão), monitores de glicose e alimentos. Assim, certamente ocorrerão casos nos quais o paciente será surpreendido pela exigência de receita médica. Desta forma, as normas de segurança do evento criam uma situação de aumento do risco de complicações agudas em pessoas com diabetes. Usuários de bomba de insulina, por exemplo, não devem ficar mais de 1 ou 2 horas desconectados das bombas, pois podem desenvolver cetoacidose diabética com risco de vida. Frente a essa situação, preparamos um breve material com descrição e fotos das insulinas e dos equipamentos mais frequentemente utilizados por pessoas com diabetes para eventual consulta.

GUIA RÁPIDO DE INSULINAS E MATERIAIS UTILIZADOS POR PESSOAS COM DIABETES

1- INSULINAS:

Insulinas Basais:

- NPH (exemplos: Novolin N®, Humulin N®)
Aplicação: 1 a 4 vezes ao dia.
Aparência leitosa. Apresentação em frasco de 10ml para utilização com seringa , penfil de 3ml para utilização em caneta ou caneta descartável contendo penfil de 3ml.
-Análogos de Insulina de longa duração ( Lantus®, Levemir®, Tresiba® e Toujeo®)
Aplicação: Insulinas Lantus e Levemir- 1 a 2 vezes ao dia. Insulinas Tresiba e Toujeo- 1 vez ao dia.
Aparência transparente. Apresentação em frasco de 10ml para utilização com seringa , penfil de 3ml para utilização em caneta ou caneta descartável contendo penfil de 3ml.

Insulinas Prandiais:

-Insulina rápida ou ultra-rápida- ( exemplos: Novolin R®, Humulin R®, Novorapid®, Humalog®, Apidra®)
Aplicação: 1 a 6 ou mais vezes ao dia ou infusão contínua em bomba.
Aparência transparente. Apresentação em frasco de 10ml para utilização com seringa , penfil de 3ml para utilização em caneta ou caneta descartável contendo penfil de 3ml.

Insulinas Pré-misturadas

-Insulina pré-misturada- ( exemplos: Humalog Mix 50®, : Humalog Mix 25®, Novomix 30®, Humulin R 70/30®, Novolin R 70/30®)
Aplicação: 1 a 4 vezes ao dia.
Aparência leitosa. Apresentação em frasco de 10ml para utilização com seringa , penfil de 3ml para utilização em caneta ou caneta descartável contendo penfil de 3ml.

2- MEDIDORES DE GLICOSE NO SANGUE CAPILAR (GLICOSIMETROS) E LANCETADORES PARA PUNÇÃO DIGITAL:

Existe uma grande variedade de aparelhos e lancetadores para fazer a aferição da glicose no sangue capilar através de um pequeno furo na ponta de dedo . A medição da glicemia deve ser feita para orientar as aplicações de insulina e em caso de suspeita de hipoglicemia. Pacientes usuários de insulina podem necessitar aferir a glicemia capilar várias vezes ao dia.

3- MEDIDORES DE GLICOSE NO LÍQUIDO INTERSTICIAL – FreeStyle® Libre

O equipamente é composto de um sensor e um leitor. O sensor é redondo, tem o tamanho de uma moeda de R$ 1 real e é aplicado de forma indolor na parte superior do braço. Este sensor capta os níveis de glicose no sangue por meio de um microfilamento (0,4 milímetro de largura por 5 milímetros de comprimento) que, sob a pele e em contato com o líquido intersticial, mensura a cada minuto a glicose presente na corrente sanguínea. O leitor é escaneado sobre o sensor e mostra o valor da glicose medida.

4- BOMBAS DE INSULINA:

A bomba de insulina é um dispositivo mecânico, com comando eletrônico, do tamanho de um cartão de crédito, de aproximadamente 3 cm de espessura e que contém um reservatório com cerca de 300 unidades de insulina, que é injetada no tecido celular subcutâneo através de uma cânula inserida no abdômen ou em outros locais recomendados para a aplicação. A maioria dos dispositivos ainda é, basicamente, uma seringa preenchida com insulina, operada a pilha e que tem um pequeno motor que empurra um parafuso que avança segundo uma programação previa ou no momento da liberação de um bolus. A bomba de insulina deve ser usada ao longo das 24 horas.

5- MONITORIZAÇÃO CONTÍNUA DA GLICEMIA NO LÍQUIDO INTERSTICIAL (CGM):

Os sistemas de monitorização contínua de glicose (CGM) consistem num pequeno sensor descartável inserido na pele, um transmissor que liga ao sensor através de um suporte sem fios que transmite e exibe os resultados num receptor. Podem ser utilizados isoladamente ou associados com bombas de infusão de insulina. Tais dispositivos avisam ao usuário em caso de hipoglicemia (glicose baixa ) ou hiperglicemia (glicose alta).

IMAGENS PARA REFERÊNCIA

Exemplos de insulina e matérias para aplicação:

Insulina-Frasco 10ml:

Insulina-Penfil 3ml:

Caneta para penfil:

Canetas Descartáveis:

Seringas de insulina:

Agulhas para canetas: 

  

EXEMPLOS DE MEDIDORES DE GLICOSE E LANCETADORES:

MEDIDORES DE GLICOSE NO LÍQUIDO INTERSTICIAL – FreeStyle® Libre

EXEMPLOS DE BOMBAS DE INSULINA:

 

VOLTAR

                                                      

Você não tem permissão para enviar comentários

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

!-

secretaria@diabetes.org.br

-->

SBD nas Redes