Simpósio de Enfermagem reúne mais de 140 profissionais em Florianópolis

Florianópolis, capital de Santa Catarina, foi palco do último Simpósio de Enfermagem da Sociedade Brasileira de Diabetes, realizado em 15 de agosto Auditório da Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Com o tema “Assistência de Enfermagem na monitorização da glicose e terapia insulínica – Desafios para atingir bom controle glicêmico no hospital, ambulatório e em domicílio”, foi discutido, junto a enfermeiros e estudantes, como melhorar a qualidade de vida das pessoas com diabetes. O evento teve o apoio do Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina (COREN-SC) e da UFSC, cuja vice-reitora participou da abertura.

Com a presença de mais de 140 participantes vindos de diversos municípios do estado, as palestras abordaram a importância da educação no diabetes e a técnica de monitorização e insulinoterapia, falando sobre seringa, caneta e bomba de insulina, além de explicar sobre as técnicas corretas, os maiores riscos de erro e suas consequências. “Também tivemos a oportunidade de fazer discussões importantes sobre o cenário atual do paciente com diabetes em Florianópolis – em especial após a chegada dos análogos de insulina na rede pública de saúde, e também sobre a nova portaria em relação ao fornecimento de NPH e regular de caneta”, afirma a enfermeira Maria Gabriela Secco Cavicchioli, coordenadora do Departamento de Enfermagem da SBD e do evento.

Segundo Maria Gabriela, por conta do sucesso das três últimas edições, a ideia é levar o simpósio a outros municípios do Brasil. “Vamos pensar em outros locais para promover esse encontro futuramente, com o objetivo de capacitar o maior número de enfermeiros e disseminar a importância da educação em diabetes pelo olhar do profissional de enfermagem, porque ele está diretamente envolvido no cuidado desses pacientes. Seu papel é importante tanto na atenção básica, quanto nos hospitais”, conclui.


Acompanhe

Copyright © 2019 - Sociedade Brasileira de Diabetes