Aplicabilidade clínica da Hemoglobina Glicada na evolução do paciente com hiperglicemia hospitalar

Introdução: A hiperglicemia hospitalar e um evento frequente desencadeado em pacientes com ou sem diabetes. A hemoglobina glicada (HbA1c), proporciona diferenciação entre hiperglicemia ocasionada devido variabilidade glicêmica secundaria a outros fatores da internação ou diabetes mellitus sem diagnostico prévio. Sendo assim, em virtude dos efeitos deletérios desencadeados pela hiperglicemia, justifica nosso interesse na avaliação da HbA1c e sua relação com a evolução clinica dos pacientes internados, apresentando ou não diagnostico de DM.

Objetivo: Utilizar a HbA1c como ferramenta diagnóstica e preditiva da evolução clínica de pacientes com e sem diagnostico de diabetes mellitus, avaliada durante período de internação hospitalar e sua relação com as complicações hospitalares.

Método: Análise da HbA1c de 100 pacientes com hiperglicemia hospitalar internados no Hospital Samaritano por outras patologias clínicas em um período de um ano. De acordo com o American Diabetes Association (ADA) definiu - se como hiperglicemia hospitalar valores glicêmicos acima de 140 mg/dl avaliadas pelo protocolo institucional NUMAD (Núcleo Multidisciplinar de Atendimento ao Diabético). Foi utilizado método HPLC, com certificado do The National Glycohemoglobin Standardization Program. A hiperglicemia hospitalar foi verificada pela glicemia capilar através do glicosímetro Precision XTra (Abbott ), aprovado pela FDA (Food and Drug Administration).


Resultado: Foram 100 pacientes com media de idade de 63,15 anos, sendo que 75% apresentava diagnostico prévio de DM, e dos 25% com hiperglicemia, mas sem diagnostico prévio, 52% foram diagnosticados com DM. Os pacientes sem diagnostico prévio de DM apresentaram HbA1c entre 5,8% e 7,5%, com a mediana do tempo de internação de 9 dias, sem complicações. Os pacientes com DM que evoluíram com complicações apresentaram HbA1c entre 7,3% e 12,4% e correspondiam a 20% do estudo, com tempo de internação de 34,5 dias. Os pacientes com DM sem complicações apresentaram HbA1c entre 5,9% e 11,5% com tempo de internação de 11,12 dias. As complicações foram infecções pulmonares (50%), choque septico (15%), infecção de pele (15%), infecção trato urinário (10%), renal (10%).

Discussão: Nosso estudo demonstrou que o aumento da HbA1c foi proporcional ao aumento das complicações hospitalares independente da patologia associada do paciente. Os efeitos deletérios da hiperglicemia comprometeram a imunidade e cicatrização, aumento do stress oxidativo, disfunção endotelial, aumento de fatores pró-inflamatórios e pró-trombóticos, aumento da mitogênese, alterações hidroeletrolíticas e potencial exacerbação de isquemia miocárdica e cerebral, proporcionando assim o aumento dessas complicações.

Conclusão: A analise da HbA1c apresenta-se como um parâmetro importante para avaliar o tempo de internação e o risco de complicações hospitalares independente da patologia do paciente.

* Link artigo completo: http://oatext.com/Clinical-applicability-of-glycated-hemoglobin-in-the-evolution-of-patients-with-hospital-hyperglycemia.php

VOLTAR

Informações dos Autores

Beatriz Dal Santo Francisco Bonamichi
Carolina Ferraz
João Eduardo Nunes Salles
Adriano Namo Cury
Rubens Aldo Sargaço

Você não tem permissão para enviar comentários

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes