Lá como cá?


Dr. Amélio Godoy
Endocrinologista
Chefe do Serviço de Metabologia do IEDE-PUC-RJ

Suplementos para aumentar massa corporal contêm esteróides anabolizantes.

Um "briefing"da Endocrine Society desta semana alerta os endocrinologistas sobre uma matéria publicada no New York Times. A matéria informa que alguns produtos rotulados de suplementos alimentares, e vendidos para atletas, contêm esteróides anabolizantes ou substâncias esteroide-like.

Mais preocupante ainda, informa sobre casos de insuficiência hepática aguda e insuficiência renal, sugerindo um crescente número de relatos médicos em homens que usaram tais suplementos. Nomes como Tren Xtreme, Mass Xtreme e outros seis foram diretamente infamados por conterem tais substâncias. A descoberta foi fruto de uma investigação do FDA.

No nosso meio, cresceu assustadoramente o número de adolescentes freqüentadores de academias de ginástica. Em geral são estimulados pelos "colegas" da academia, já com corpos definidos e bem musculosos, que sugerem terem ganhado forma após o uso de suplementos.

As lojas de tais produtos estão proliferando e vendem-nos livremente, pois, afinal, são apenas suplementos... também as nutricionistas, agora uma moda da classe média brasileira, os têm prescrito, pois, afinal, são apenas suplementos... creio, sinceramente, que provavelmente o fazem de boa-fé. Podem estar sendo enganadas da mesma maneira que os seus leigos clientes.

Acontece que, ocasionalmente, tenho atendido no consultório pacientes que, sob orientação de pais mais cautelosos, vêm escutar uma opinião médica sobre o uso destes produtos. Felizmente tenho sido sempre contrário, exatamente porque desconfio que as modificações corporais apresentadas, após pouco tempo de uso, não podem dever-se apenas aos exercícios e "suplementos protéicos".

Parece, agora, que a razão está do meu lado. Um outro aspecto que me chamou a atenção foi que alguns dos pacientes que atendi nos últimos anos apresentaram claros sinais de androgenização, tais como relatos de acnes e aumento da oleosidade da pele. Sabemos como é difícil perceber em homens uma ação androgência de um medicamento, mas às vezes elas são claras pela relação temporal do uso de alguma substância.

Recentemente tive um caso de um paciente, portador de Diabetes tipo 1 e capoeirista, que me surpreendeu ao voltar ao consultório extremamente "malhado". Informou-me que a nutricionista da sua academia lhe prescrevera uma dieta e uns suplementos! Ele retornou à consulta porque estava apresentando freqüentes e inexplicáveis episódios de hipoglicemia!

Creio que nossas sociedades médicas devem alertar os seus membros para a possibilidade de que, aqui como lá, alguns destes produtos estejam contaminados por anabolizantes hormonais, e sugiro que aqueles consultados desestimulem o uso pelos seus pacientes. Seria também interessante que aqueles que tiverem relatos de casos enviassem-nos para fazermos uma eventual coletânea.

Munidos de mais informações, a diretoria da sociedade poderia encaminhar um ofício à ANVISA para providências. Aliás, a ANVISA, tão ciosa de suas atribuições, já poderia estar investigando tais produtos e fazendo visitas às farmácias de manipulação para avaliar também outros possíveis "produtos naturais" da tal medicina ortomolecular.

VOLTAR

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes