Qual o melhor tratamento para o pré-diabetes? Dois ou Três medicamentos?


Dr. Carlos Eduardo Barra Couri
PhD em Endocrinologia pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP
Pesquisador da Equipe de Transplante de Células-tronco - USP - Ribeirão Preto

O estado pré-diabético é um problema de saúde relativamente comum. Recentemente um número maior de adultos têm feito exames de rotina, inclusive teste oral de tolerância à glicose, que possui uma maior sensibilidade no diagnóstico do diabetes ou pré-diabetes. Segundo dados atuais da IDF (International Diabetes Federation) no Brasil cerca de 4,5% dos adultos possuem pré-diabetes. Nos Estados Unidos esta prevalência é de 10,5%.

Análises de diversos estudos mostram que cerca de 50% dos pré-diabéticos evoluem para estado diabético tipo 2. Além disso, vários estudos mostram elevada incidência de complicações micro e macrovasculares já no pré-diabetes.

Na Banting lecture do congresso do ADA em 2008, DeFronzo mostrou estudos realizados no Texas Diabetes Institute que cerca de 50% da massa funcional de células beta já está deteriorada neste estágio de pré-diabetes.

Neste estudo publicado no final de 2011 por Amato e colaboradores, foi avaliado o efeito de 3 formas de tratamento em adultos com pré-diabetes num período médio de 8,9 meses. As três formas de tratamento foram:

• Metformina + Pioglitazona (n= 40)

• Metformina + Pioglitazona + Exenatide (n= 47)

• Modificação do estilo de vida (n = 18)

Acesse o artigo na íntegra e tire suas conclusões:

Amato J, DeFronzo RA, Abdul-Ghani M, Ruby R. Successful Treatment of Prediabetes in Clinical Practice: Targeting Insulin Resistance and Beta Cell Dysfunction. Endocr Pract. 2011; 8:1-21.

VOLTAR

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes