A lesão de Neymar na Copa e a competição para atingir estilo de vida saudável


Helena Schmid, MD, PhD
Professora Associada da UFRGS/ HCPA
Professora Titular UFCSPA

Recomenda-se que todo adulto realize atividades físicas moderadas: 30 minutos ou mais na maioria dos dias da semana, ou diariamente (de preferência) ou 150 minutos por semana. Além disso, para adultos diabéticos recomenda-se que o exercício seja aeróbico, de moderada intensidade (por exemplo, atingindo 50 a 70% da freqüência cardíaca máxima  e que na ausência de contra-indicações, pacientes adultos com Diabetes Mellitus Tipo 2 sejam encorajados a realizar treinos de resistência, pelo menos 3 vezes por semana.

No Brasil, o futebol é o esporte com maior número de pessoas interessadas, sendo provavelmente o esporte mais praticado por adultos e crianças do sexo masculino. Que tipo de exercício é realizado num treino ou jogo de futebol? Geralmente, nestes treinos os envolvidos atingem freqüências cardíacas sub-máximas ou máximas, caindo na faixa do treino anaeróbico (maior que 92% da freqüência cardíaca máxima). Só por este motivo, o jogo de futebol não é o tipo de exercício que deva ser recomendado para pessoas, adultas, com Diabetes ou não.

Existem, no entanto, outros motivos para não recomendar jogar futebol a pessoas que buscam uma vida mais saudável, porque é necessário considerar benefícios versus riscos. Em estudos realizados por um grupo finlandês, publicado em 2009, foi comparado o número de lesões que pessoas de 15 a 35 anos (em torno de 150 praticantes assíduos de 4 diferentes esportes – competição de skying, natação, corrida de longa distância e futebol) haviam sofrido no último ano. Os resultados do estudo mostraram um número duas vezes maior de lesões relacionadas ao futebol, do que com outros esportes. Isto significa: acidente como o que Neymar sofreu é previsto; não nos conformamos porque ele é o nosso número 1.

Como estudos tem mostrado que crianças que participam de esportes organizados, como o futebol, quando muito jovens, tem uma maior chance de adesão a prática de exercícios e adoção de práticas de vida saudáveis  na idade adulta, os treinos de futebol podem ser recomendados às crianças, inclusive as com Diabetes tipo 1 ou 2. Os treinos continuados de futebol, auxiliam as crianças a fortalecer sua musculatura cardíaca e motora e desenvolver a coordenação. Por outro lado, o futebol favorece a comunicação entre os jogadores e estimula o trabalho em grupo, além de ser um esporte que envolve muito pouco custo (especialmente quando não ocorrem muitas lesões, como nas crianças).

Durante os jogos da copa do mundo certamente todos ficaremos estimulados a praticar o futebol: às crianças a recomendação existe; os adultos, se participarem dos jogos infantis, como motivadores das crianças e não competindo entre si, também poderão se beneficiar, conforme publicação de Fischer e cols, da Universidade de Michigan.

O desejável é que a copa sirva para motivar os adultos a sentar em uma bicicleta e pedalar na frente da TV enquanto assistem aos jogos e não cair no sofá e na comilança!! Muito menos recomendado ainda é entrar no jogo e lesionar-se gravemente como foi visto que ocorre aos profissionais do jogo.

No momento que estamos em 5o lugar no ranking da obesidade mundial, não é hora de a população procurar descobrir treinos que sejam agradáveis, nos quais cada um tenha como meta competir apenas consigo mesmo e passe a realizá-los habitualmente? Quem sabe conquistar para o Brasil, um Ministro do Exercício? Não há o que perder quando fazemos atividades bem orientados por profissionais formados: ganhamos em preparo cardiovascular, peso corporal e prevenimos doenças ao invés de as ganharmos.

VOLTAR

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes