Diabetes em Família


Dra. Janice Sepúlveda Reis
Endocrinologista - Coordenadora do Ambulatório de Diabetes Tipo 1 da Santa Casa de BH
Doutora em Clínica Médica pelo Instituto de Ensino e Pesquisa da Santa Casa de Belo Horizonte
Coordenadora do Mestrado Profissional em Educação em Diabetes - IEP - Santa Casa de BH

A família é o grupo primário de relacionamento no qual as ações, comportamentos e hábitos sofrem influências cíclicas e de múltiplos fatores. Assim sendo, cada membro tem seu estado de saúde influenciado por este contexto, bem como influência o funcionamento da unidade familiar.

O diabetes é uma doença crônica, com possibilidade de complicações futuras se um bom controle não é alcançado, e que se apresenta como um grande temor para as famílias, devido às experiências negativas compartilhadas com outros. Ao ser diagnosticado, exige modos de enfrentamento, mudanças no cotidiano do paciente e da família e um período de adaptação, que se refere à sua relação e da família com os alimentos, com os exercícios físicos, com as medicações, crenças, valores e com o processo educacional contínuo.

Em relação às crianças e adolescentes, os sentimentos dos pais frente à doença desempenham importante papel nas reações da criança, ou seja, as atitudes familiares influenciam decisivamente na forma de aceitação, ou não, do jovem diabético. Neste cenário, encontramos diferentes manifestações familiares: rejeição à doença, superproteção, atitudes de controle perfeccionista da doença, dentre outros.

Diante de todo este universo de mudanças nos hábitos de vida, muitos se perguntam: e agora? Dentro desta realidade, merece destaque a educação em diabetes, que de forma equivalente, deve ser direcionada também aos familiares, principalmente em caso de crianças e idosos, onde muitas vezes a maioria dos cuidados frente à doença são de sua responsabilidade.

Em nossa realidade, onde a educação formal em diabetes ainda não é uma prática, vale algumas dicas aos familiares:

• Alimentação: Lembre-se que a alimentação de um portador de diabetes preza os hábitos saudáveis e não é dieta para diabético! Assim, todos em casa devem procurar ter refeições saudáveis, buscando uma meta em comum: saúde!
• Exercícios Físicos: deve ser um prazer e não um castigo imposto ao diabético! Infelizmente, a maioria das famílias não tem o hábito de praticar exercícios, e quando se deparam com o diagnóstico da doença, onde a atividade física é parte essencial do tratamento, se sentem obrigados a fazer o exercício. Assim, encarem a atividade física como uma forma familiar de manter peso saudável, melhora da auto-estima, do perfil de colesterol e da glicose. Não se esqueça: busquem uma atividade que agrade e que preferencialmente seja feita em conjunto por todos ou pelos menos alguns membros da família.
• Consultas: tentem comparecer ao maior número possível de consultas com o seu familiar diabético. A educação em diabetes, durante o acompanhamento com a equipe interdisciplinar, é a oportunidade para o esclarecimento de dúvidas, entendimento dos processos relacionados ao autocuidado,  além de ser um apoio ao seu ente querido.

Assim, buscando a sua saúde e do seu familiar diabético, certamente alcançarão metas juntos!

VOLTAR

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes