Gerenciamento dos testes de glicemia


Dr. Márcio Krakauer
Médico, coordenador do núcleo digital da SBD
Presidente da ADIABC
Endocrinologista colaborador do site da SBD

Qual portador de diabetes, que faz testes de glicemias algumas vezes ao dia nunca levou ao seu médico as suas  anotações? Cadernetas, livretos, livrinhos fornecidos pelo médico (alguns sujos de sangue), papéis soltos, enfim qualquer maneira de levar as anotações ao seu médico.  Acredito que fazer o teste é realmente o mais importante, porém é preciso que estes testes sejam de fato analisados para que uma modificação tanto dos hábitos alimentares, quanto exercícios e principalmente das medicações seja atingida. Modificações estas que culminarão, se forem necessárias, com um melhor controle do diabetes e prevenção das complicações crônicas.

Mas pode ser um desafio enorme analisar dados de por exemplo, uma pessoa que faz 4 a 6 testes ao dia por 30 dias. Neste caso teremos 120 a 180 testes em diversos horários, e estabelecer padrões de alterações glicêmicas pode ser dificílimo quando olhamos as glicemias em papéis, soltos ou até mesmo analisando os próprios monitores, que em geral nos trazem uma informação por vez. Para isso existem os softwares que analisam os dados advindos dos monitores diretamente no computador, trazendo diversas vantagens em relação às glicemias do papel.  Há no Mercado um software para cada marca de monitor, vamos analisar uma delas: O Accuchek 360.

É um software relativamente simples, que fica instalado no computador do médico onde o paciente descarrega seus dados via infravermelho. A partir daí abrem-se várias telas para análise dos dados que estavam no aparelho, e a partir disso, sai uma decisão terapêutica. As telas mais comuns são as de tendências, tela de horário do dia, dias da semana e gráfico em “pizza.” Com o costume, a análise destes dados é bastante rápida e traz muitas informações para serem discutidas com o paciente. Podemos tomar decisões de mudança de tratamento tanto para os que usam insulina, quanto os DM 2 em medicações orais. Este software também faz o gerenciamento dos dados existentes nas bombas de insulina da Roche (Accuchek spirit e spirit Combo).  Há também uma versão para as pessoas terem em casa chamada de Smart Pix que pode ser adquirida nas principais lojas de produtos para diabéticos.Vejam a seguir alguns gráficos.

 

Outros softwares de outras empresas também fazem estas tarefas: Monitores One Touch, Bayer e outros possuem softwares específicos para o gerenciamento e análise dos dados.

A correta utilização desta tecnologia sem dúvida é uma ferramenta muito importante para o controle e também a educação dos portadores de diabetes.

VOLTAR