Como a tecnologia pode ajudar a melhorar a aderência a tratamentos de perda de peso.


Dr. Márcio Krakauer
Médico, coordenador do núcleo digital da SBD
Presidente da ADIABC
Endocrinologista colaborador do site da SBD

Vários artigos são escritos acerca deste tema (Time, Wall Street Journal, Pediatrics), pois estamos em uma real epidemia de Obesidade, hipertensão e Diabetes e todas as consequências devastadoras advindas desses males.

Mais de 400 Milhões de adultos tem IMC > 30 kg/m2. Nos EUA 32% dos Homens e 26% das Mulheres estão obesos. No Brasil as estatísticas também não são diferentes. Segundo dados do Ministério da Saúde, cerca de 30% das crianças do país têm sobrepeso e metade delas é obesa. Cerca de 13% da população adulta é obesa.  Um grande estudo internacional lançado em fevereiro de 2011 mostrou que 10% dos adultos são obesos. Em 2008: 9,8% dos homens e 13,8% das mulheres eram obesos.

Me chamou a atenção um estudo publicado em Março de 2011 no Journal of Diabetes Science and Technology onde os autores discutem um software para smartphone que chamaram de ENGAGED (E-Networks Guiding Adherence to Goals in Exercice and Diet). 

Os comportamentos consagrados para uma perda de peso saudável são: - Dieta, Atividade Física e controle emocional. Diversas barreiras são enfrentadas por todas as pessoas que tentam emagrecer. Estas barreiras impedem a boa aderência a estes comportamentos. Para atingir um balanço energético negativo as pessoas requerem um série de complexas decisões durante todo o dia. Enquanto o peso desejado é algo distante do indivíduo, as dificuldades são imediatas, por exemplo: Alimentos com pouca palatabilidade (Aquela combinação de salada com peito de frango grelhado), Alto custo para o tratamento, possibilidade de sentir fome e suas consequências, e perda de tempo, incoveniência e desconforto comumente associadas a atividade física. 

É claro que programas intensificados com ajuda de profissionais especializados costumam dar muito mais resultados, porém não estão acessiveis à maioria das pessoas. A Tecnologia vem neste sentido, tentar de alguma forma preencher este espaço, e a partir daí que comento o Artigo.        

Os pesquisadores estão tentando encontrar como ajudar a automonitorização e aderência aos aspectos mais comuns da dieta e da atividade física, utilizando um programa para smartphone. Este programa foi desenvolvido e está sendo testado pelo importante centro NIH (Nacional Instute of Health). A base do programa foram dados colhidos nas redes sociais, em relação a todos os comportamentos relacionados a dieta e atividades físicas.

O usuário é então “linkado” com monitores treinados e grupos de usuários que analisam os dados colocados e remetem dicas e motivação para executar os comportamentos fundamentais para a perda de peso.O ENGAGED está sendo testado também no famoso e prolongado estudo DPP (Diabetes prevention program) com a hipótese de reduzir à metade as ações comportamentais necessárias para perda de peso e consequente prevenção do Diabetes.

O funcionamento  diário é baseado em cores. A pessoa coloca seus dados e recebe constantemente informações Se está de fato fazendo os comportamentos corretos o aparelho emite sinais verdes, caso contrário, temos as escalas amarela e vermelha e a pessoa pode modificá-los. Além disso, o indivíduo pode entrar em uma rede social própria com um monitor, e pessoas que também estão utilizando o sistema e com isto trocar informações, experiências, dar dicas e ajudar os outros usuários. O processo ainda utiliza a Realidade Virtual, onde cria-se um avatar que irá ter comportamentos ideais a serem seguidos pelo usuário, e pode-se ensaiar comportamentos como tamanho de porções, modo de preparo dos alimentos e horários de refeições com mais sucesso do que se pode fazer sem o uso deste interessante mecanismo. Portanto o acesso ao ambiente de realidade virtual leva o paciente a um ambiente seguro aonde ele pode praticar comportamentos errôneos como a superalimentação, que serão a sua realidade no dia a dia.

Outras plataformas também foram testadas com sucesso, e o desenvolvimento de aparelhos, softwares e aplicativos  que colaboram com dietas, exercícios e alterações emocionais e comportamentais tem sido desenvolvidas constantemente.

Tenho pessoalmente indicado sistematicamente para crianças e também para alguns adultos o uso do game Wii (principalmente a plataforma Wii Fit), ou Xbox Kinect como forma lúdica e interessante de praticar exercicios sem necessidade de ir a uma academia, e utilizando o tempo que “sobra”, em casa mesmo e nos finais de semana. Assim mesmo considero pouco em relação a enormidade de ações necessárias para o controle do peso.

Pouquíssima aderência continua a ser um dos maiores impedimentos á perda de peso e manutnção de peso perdido. Comentamos o potencial de intervenções baseadas em tecnologia e realidade virtual em melhorar a fidelidade e aderência nas intervenções para perda de peso em um sentido de melhorar um aspecto global na nossa população. Uma fronteira no mundo da Realidade Virtual está sendo estudada como uma disciplina que integra ciência comportamental, Neurociência, Ciência computacional, engenharia e design gráfico. Um corpo científico nesta área está sendo construído e pode ser acessado pelo site: http://www.teamscience.net/.

Quem souber de outras tecnologias nesta área, ou se quiserem fazer qualquer comentário, abrimos o fórum abaixo.

VOLTAR