E-books e Diabetes – Opine!


Dr. Márcio Krakauer
Médico, coordenador do núcleo digital da SBD
Presidente da ADIABC
Endocrinologista colaborador do site da SBD

O mercado de livros digitais está em alta. A americana Amazon, líder do setor, anunciou que recentemente a venda de e-books tem superado a de livros comuns em capa dura. No total ainda se vende mais livro no formato impresso que em arquivos digitais, mas a criadora do Kindle acredita que isso deve mudar em breve.

Não confundamos com a venda de livros de papel pela internet, essa sim hoje absolutamente campeã, pois vendem muito mais que nas livrarias, apresentam mais descontos, e entregam em casa.

E em relação a saúde e mais especificamente na nossa área, o Diabetes? Será que esta tendência se repetirá? Médicos e outros profissionais da saúde irão aderir a essa realidade? Parece que sim! A SBD, pioneira em diversas ações na área tecnológica, agora também é uma editora, capaz de publicar livros na forma eletrônica. Não apenas livros próprios, mas também de autores externos.

A associação da SBD com a Gato Sabido, tornou possível esta ferramenta, e a venda de e-books começou pra valer.  Este site utiliza-se da famosa loja submarino para realizar suas vendas, o que torna completamente segura a transação eletrônica. As vantagens são muitas:

-  Preço menor que o livro impresso

Disposição para leitura em e-readers (ipad, kindle, sony reader, cool-er (figura) - este vendido no site da gato sabido por R$ 599,00)

-  Leitura possível em formato pdf (baixado no site da gato sabido) para pc e notebook

-  Facilidade de transporte quando o livro físico for muito grande e pesado, muito comum na área de Diabetes e Endocrinologia geral.

-  Compra via internet sem sair de casa, sem necessidade de deslocamento - Economia de  tempo!

-  Alteração da letra e tamanho da fonte se necessário - Diabéticos!

-  Interação com sites, no caso do ipad pois tem possibilidade de acesso a internet, certamente esta será uma tendência de todos e-readers.

Mas há também que veja desvantagens: Dificuldade de leitura pelas telas existentes atualmente, há quem não dispense o papel, pirataria mais fácil (problema este que já preocupa as autoridades: Segundo estudo realizado pela Atttributor, a procura por livros ilegais cresceu 50% desde 2009. 3 milhões de buscas por sites que distribuem os livros digitais de forma ilegal são realizadas no Google).

Médicos, quase sempre sem tempo, muitas vezes precisam de informação rápida e disponível em suas mãos, além da economia de espaço em seu consultório. Assim como o jornal digital é uma realidade sem acabar com o papel, acredito que o mercado de e-books é irreversível e fundamental. Os e-readers também serão ótimos na assinatura das revistas médicas, como ABEM, New England, Diabetes Care, Diabetologia e tantas outras que estarão disponíveis praticamente o tempo todo. Imaginem aquele intervalo, alguma consulta que não veio, um bom café e a leitura de um artigo, na palma das mãos! Bacana, não é?

É algo para refletirmos e gostaria muito de ler a opinião dos internautas para trocarmos idéias sobre este assunto. O que você acha?

VOLTAR