Effect of cilostazol on arterial stiffness and vascular adhesion molecules in type 2 diabetic patients with metabolic syndrome: a randomised, double-blind, placebo-controlled, crossover trial Nam Hoon Kim, Hee Young Kim, Hyonggin An, Ji A Seo, Nan Hee Kim


Dra. Marília de Brito
Professora Associada da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

O cilostazol, inibidor da fosfodiesterase, apresenta  efeitos beneficos na aterosclerose devido às suas propriedades vasodilatadora e anti-agregante. No entanto, pouco se sabe sobre o efeito na rigidez arterial e nos marcadores bioquímicos relacionados com a inflamação vascular e a disfunção endothelial em pacientes com Diabetes Mellitus tipo 2 (DM2) com Síndrome Metabólica.

O objetivo deste estudo randomizado duplo cego, com 45 pacientes diabéticos com síndrome metabólica que receberam ou cilostazol (50 mg por 2 semanas, 100 mg por 6 semanas) ou placebo por 8 semanas e onde os grupos de tratamento foram cruzados por mais 8 semanas, foi avaliar a eficácia do cilostazol em evitar a progressão da rigidez arterial através da análise da  velocidade da onda de pulso braço-tornozelo e dos níveis séricos das citocinas inflamatórias  e  das moléculas de adesão vascular relacionadas com inflamação vascular e disfunção endotelial.

O principal achado foi que no grupo que usou  cilostazol os níveis somente de VCAM-1 foram menores quando comparados com o placebo. A velocidade da onda de pulso braço-tornozelo, assim como o perfil lipidico, outras moléculas de adesão vascular e citocinas inflamatórias não foram diferentes no grupo intervenção.

As grandes limitações desse estudo são a metodologia utilizada- a velocidade da onda braço-tornozelo, ao invés da análise da velocidade da onda de pulso aórtica (carótida-femoral) -padrão ouro para esta avaliação- demonstrando que a forma da onda de pulso gera insuficiente informação para quantificar a magnitude na reflexão da onda por falta de acurácia do método, o tamanho amostral e o reduzido  tempo de exposição à intervenção (Cilostazol).

No entanto, este estudo foi importante, pois até a presente data o efeito do Cilostazol sobre a progressão da rigidez arterial e inflamação vascular no DM2 ainda não havia sido relatado. Além disso, a  técnica utilizada para avaliar a rigidez arterial apresenta algumas vantagens, como um método prático, bem aceito pelos pacientes e observador independente.

Como conclusão deste estudo, o tratamento com Cilostazol por 8 semanas reduziu apenas um marcador de inflamação vascular (VCAM-1) sem contudo melhorar a rigidez arterial ou outros marcadores de disfunção endothelial no curto período de tempo de intervenção. O Cilostazol parece atuar nas fases precoces da aterosclerose, necessitando de estudos futures com maior tempo de intervenção para comprovação deste fato.

Key messages:

-Cilostazol mostrou-se eficaz em reduzir os níveis de VCAM-1 em DM2.

-No entanto, no curto período de tratamento não houve melhora na rigidez arterial e em outros marcadores inflamatorios.

vasculares.

-Altos níveis de VCAM-1 estão associados com aumento na mortalidade cardiovascular.

-O Cilostazol pode ser benéfico para a inflamação vascular por um maior período de intervenção

VOLTAR