Artigo comentado:Comparison of 4 diets of varying glycemic load on weight loss and cardiovascular risk reduction in overweight and obese young adults. A Randomized Contolled Trial. Arch Intern Med 2006;166:1466-75. McMillan-Price J, Petocz P, Atkinson F, O’Neill K, Samman S, Steinbeck K, Caterson I, Brand-Miller J.

O padrão alimentar da população mundial vem se modificando nas últimas décadas, com o aumento do consumo de alimentos de alta densidade energética, ricos em gorduras saturadas e pobres em fibras. Segundo a Organização Mundial da Saúde, esse padrão alimentar combinado ao declíneo do gasto energético é responsável pelo aumento significativo das mortes prematuras causadas por doenças crônicas como diabetes e  doenças cardiovasculares.

Dentre os fatores nutricionais associados a risco cardiovascular, a carga glicêmica (CG= índice glicêmico (IG) X quantidade de carboidrato disponível na porção do alimento/100) se destaca como uma promissora ferramenta nutricional para avaliação da glicemia pós-prandial. Vários estudos associam a alta...

Insulin resistance in Brazilian adolescent girls: Association with overweight and metabolic disorders. MM Alvarez, ACR Vieira, AS Moura, GV Veiga.   Diabetes Research and Clinical Practice  2006; 74:183–8.

A adolescência é um período de risco para o aparecimento da resistência à insulina porque há uma redução fisiológica na sensibilidade à insulina que é compensada pelo aumento na sua secreção. Essa redução transitória do hormônio, parece ser mais freqüente nas adolescentes do sexo feminino.

Em 2003 foi realizado um estudo para avaliar risco cardiovascular em uma amostra probabilística com 610 adolescentes de 12 a 19 anos de escolas públicas de Niterói, Rio de Janeiro. Adolescentes do sexo feminino foram selecionadas para avaliar a resistência a insulina e associação com sobrepeso e alterações metabólicas.  Atenderam aos critérios de elegibilidade 388 meninas. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 As...

Artigo comentado: Waist circumference is an independent predictor of insulin

resistance in black and white youths The Journal of Pediatrics Volume 148, Issue 2 , Pages 188-194, February 2006.SOJUNG LEE, PHD, FIDA BACHA, MD, NESLIHAN GUNGOR, MD, AND SILVA A. ARSLANIAN, MD

A obesidade, considerada uma epidemia em todo o mundo, possui uma  elevada associação com doenças cardiovasculares tal fato, vem se tornando ainda mais grave por atingir faixas etárias mais jovens. A identificação dos grupos mais vulneráveis é importante para o estabelecimento de uma estratégia de prevenção e controle desta epidemia. No âmbito da saúde pública existe a necessidade de implementar ferramentas práticas e úteis que consigam identificar os grupos de riscos para as doenças cardiovasculares provenientes do excesso de peso.

 As medidas antropométricas mais amplamente utilizadas para avaliar obesidade são o peso, estatura e as circunferências da cintura e quadril. Estudos epidemiológicos em adultos mostraram que na avaliação da...

Dra. Marlene Merino Alvarez - 15/03/2006 19:49 
Membro do Departamento de Nutrição e Metabologia da Sociedade Brasileira de Diabetes

Abordagem Inicial

Existem milhares de pessoas com diabetes no mundo. Apesar das inúmeras campanhas de esclarecimento, ainda existem muitas dúvidas em relação ao seu tratamento e, principalmente, em relação à alimentação. é muito comum achar que o plano alimentar (dieta) para o portador de diabetes se restringe à retirada apenas do açúcar ou ainda existem as radicais que cortam quase todos os carboidratos (pães, massas, doces, etc.). Puro engano! 

Quando o açúcar está alto no sangue significa que o corpo não está utilizando corretamente os alimentos, desta forma o organismo fica muito debilitado. Para não errar para mais ou para menos é necessário consultar um nutricionista, que é o profissional mais capacitado para elaborar o plano alimentar do portador de Diabetes Mellitus. 

Atualmente o plano alimentar é baseado em uma alimentação saudável que considera todos os grupos de alimentos. A quantidade do...

Associação das medidas antropométricas de localização de gordura central com os componentes da Síndrome Metabólica em uma amostra probabilística de adolescentes de escolas Públicas.Marlene Merino Alvarez, Ana Carolina R. e Vieira, Rosely Sichieri, Gloria V. da Veiga.Arq Bras Endocrinol Metab 2008;52/4 (649:657).

O acúmulo de gordura central está associado à presença de alterações metabólicas que indicam risco cardiovascular, as quais são descritas como componentes da síndrome metabólica (SM) cujo aumento da prevalência tem sido observado em jovens obesos. . Em estudos epidemiológicos são utilizadas medidas antropométricas, tais como circunferências da cintura (CC), razão cintura/quadril (RCQ), razão cintura/estatura (RCE)  para avaliar gordura corporal na região central devido a sua praticidade e baixo custo já que, métodos mais sensíveis  como a tomografia computadorizada e  a ressonância magnética são inviáveis nesse tipo de estudo.

Em adolescentes, a questão parece ser ainda mais complexa. A RCQ pode ser uma medida inapropriada para esta faixa...

Recursos para Diabetes: parceria e responsabilidade de todos os gestores.

Recentemente o Governo federal lançou o Plano de Ações Estratégias para Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT) para os próximos 10 anos.  O Plano fundamenta-se no delineamento de Diretrizes e Ações em três eixos: vigilância, informação e monitoramento; Promoção da Saúde; Cuidado Integral. O Plano envolve diversas Instituições das diferentes esferas do governo, Universidades e sociedade civil.

No eixo do Cuidado Integral, o responsável pelo Plano é a Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), tendo como atores envolvidos as Instituições do Ministério da Saúde (MS). Esse eixo tem como objetivo o fortalecimento da capacidade de resposta do Sistema único de Saúde (SUS), visando o cuidado integrado para prevenção e o controle das DCNT. A primeira estratégia define a linha de cuidado do portador de DCNT com projeto terapêutico adequado, vinculação do cuidador e à equipe de saúde, garantindo a integralidade...

Dra. Marlene Merino Alvarez
Nutricionista do Departamento de Nutrição da SBD e da Universidade Federal Fluminense.

O azeite de Oliva é um alimento extraído das azeitonas, fruto das oliveiras, que tem sua origem na cultura mediterrânea, chegando ao Brasil na época da colonização portuguesa. O Azeite de Oliva é um clássico da culinária mundial devido ao seu sabor e aroma característicos e nos tempos atuais é também reconhecido pelos seus benefícios à saúde, sendo um dos principais ingredientes da dieta mediterrânea, considerada a mais saudável.

Classificado dentro da Ciência da Nutrição como um alimento fonte de gordura monoinsaturada, cuja ação promove o aumento do colesterol bom (HDL) e diminuição do colesterol ruim (LDL), prevenindo assim as doenças do coração e do aparelho circulatório. Outro importante benefício do azeite é auxiliar na redução da formação de radicais livres devido a sua grande quantidade de polifenóis, os quais atuam na prevenção das doenças...

A Contagem de Carboidrato é recomendada há mais de 10 anos pela Associação Americana de Diabetes (ADA) como estratégia para o plano alimentar de crianças e adolescentes com diabetes tipo 1, no entanto ainda existem poucos estudos científicos randomizados que comprovem a sua eficácia. Na prática clínica existem diversas experiências  que demonstram que a estratégia é uma ferramenta educacional muito útil para crianças com diabetes. Nesse sentido foi realizado um resumo dos principais pontos discutidos por Kawamura T (2007) numa revisão bibliográfica.

The importance of carbohydrate counting in the treatment of children with diabetes.

O consenso da Sociedade Internacional de Diabetes para Pediatria e Adolescência (ISPAD) recomenda que o total de calorias ingerido deva conter 50-55% de carboidratos (CHO), enfatizando os CHOs complexos, não refinados, ricos em fibras e moderada ingestão de sacarose; as gorduras devem ficar em torno de 30-35% e 10-15% de proteínas. Esta recomendação de carboidratos pode...

Há alguns anos é consenso entre os especialistas em diabetes que o tratamento baseado em uma alimentação saudável e atividade física regular é eficiente para o bom controle do diabetes.  No entanto, o que se verifica popularmente é um descrédito a essa conduta, muitas vezes sustentada na prática clínica por “achismos” que sentenciam a mudança de estilo de vida a uma meta inatingível para a grande maioria da população.

Diante desse cenário no mínimo equivocado e por acreditar que a informação baseada em evidências científicas ainda é o que deveria suportar a nossa prática clínica, selecionei um artigo publicado no ano passado que foi usado como referência na publicação da ADA (Associação Americana de Diabetes) de 2011 para indicar a mudança do estilo de vida no tratamento do diabetes.  Segue o resumo do artigo.

Long-term Effects of a Lifestyle Intervention on Weight and Cardiovascular Risk Factors in Individuals With Type...

O aumento dos casos de Diabetes tipo 1 (DM1) em crianças e adolescentes faz surgir diversas investigações com as  mais diversas hipóteses sobre o seu fator causal. O desenvolvimento do diabetes tipo 1 é caracterizada pela destruição autoimune das células betas do pâncreas, as quais produzem insulina. São conhecidos na literatura pelo menos 5 tipos de anticorpos associados ao diabetes tipo 1 na adolescência. Contudo também são citados alguns fatores externos que contribuem para o desenvolvimento da doença que incluem nutrição, infecções virais, peso de nascimento, idade materna, crescimento infantil acelerado, estresse e fatores socioeconômicos.

Estudos têm demonstrado que a exposição dietética ao leite de vaca precocemente pode aumentar o risco de autoimunidade de células betas e DM1, enquanto que o efeito positivo da amamentação tem sido associado ao fortalecimento do sistema imunológico da criança. Nesse sentido foi realizada recentemente uma revisão sistemática para avaliar a existência de evidências sobre...

Pagina 1 de 2

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes