Com o decorrer dos anos, os nossos sistemas orgânicos vão perdendo, lenta e progressivamente, a sua eficiência. Este processo ocorre também com as nossas glândulas endócrinas. Como resultado, as quantidades dos nossos hormônios vão diminuindo gradativamente. 

Um comportamento diferente é observado com o funcionamento dos ovários. Na maioria das mulheres, isso acontece entre os 45 e os 50 anos de idade. Existe, então, uma diminuição rápida e acentuada da secreção nos estrógenos ovarianos. Isso faz com que as menstruações cessem - é amenopausa.

Na maioria das mulheres, ela é acompanhada de outros sintomas: ondas de calor (fogachos), insônia, sudorese, palpitações, infecções urinárias, dor no ato sexual. Este conjunto de sintomas constitui a chamada climatérica. Em 20% das mulheres, esses sintomas não aparecem. E, na maioria delas, os sintomas, mesmo sem tratamento, cessam entre seis meses e dois anos.

Em muitas pacientes, no entanto, a intensidade dos sintomas faz diminuir as suas qualidades de vida e eles necessitam ser tratados. A terapêutica mais eficiente...

O hormônio do crescimento referido na literatura médica como GH (do inglês Growth Hormone) tem papel importante não só no crescimento estatural como também no nosso metabolismo. Ele é produzido pela hipófise e é secretado em picos durante o dia e, principalmente, durante o sono. A sabedoria popular tem razão quando diz que criança que não dorme não cresce. A maioria de suas ações é feita de maneira indireta, através de outro hormônio , o IGF1.
 
O hormônio estimula o fígado a produzir essa substância, que vai agir nos tecidos realizando as ações metabólicas, aumentar a massa muscular e óssea e diminuir a gordura corporal. Uma em cada cerca de 5 mil crianças nasce com deficiência do hormônio do crescimento. Caso não seja diagnosticada precocemente e adequadamente tratada, será um adulto com estatura muito baixa, inferior a 140 cm.
 
O sintoma principal de quem apresenta essa deficiência é, obviamente,...

"Meu pai trata pacientes com Diabetes, diz o filho do endocrinologista; o meu pai os cura, diz o filho do cirurgião."

Esta é uma piada que existe entre os profissionais de saúde.

Exageros a parte, as cirurgias que se realizam para tratar a obesidade foram, sem dúvida, o maior acontecimento da terapêutica do Diabetes nas últimas décadas.

Os recursos medicamentosos disponíveis até o inicio da década de 90 eram apenas três: a insulina, descoberta nos anos 20, e as sulfas e as biguanidas, já conhecidas desde a década de 50.

Nos últimos anos, é verdade, muitas novas drogas foram disponibilizadas para tratar a doença. No entanto, as suas limitadas potências terapêuticas e os seus altos custos, são fatores limitantes. Por conta disso, não temos conseguido tratar os pacientes da maneira que seria desejável. Na maioria dos diabéticos, não se consegue controlar seu metabolismo adequadamente.

No Brasil, cerca de 75% deles deveriam ter melhor tratamento.

Até em...

Os portadores de excesso de peso sofrem, por parte da sociedade, uma discriminação igual ou maior que outras minorias. Por conta disso, da mesma maneira que outras categorias discriminadas como gays, lésbicas e deficientes físicos, os obesos têm, em alguns países, sociedades organizadas para os defenderem desta discriminação.

A própria medicina, até algumas décadas atrás, quase que afirmava que o excesso ponderal era um distúrbio de caráter. Comilão, sedentário, sem força de vontade, beberrão, com problemas emocionais sérios, etc., eram, e infelizmente ainda são, rótulos que os gordinhos recebem. É claro que existem alguns com vários destes problemas, mas também é verdade,que eles também são encontrados, quase com a mesma freqüência, em indivíduos de peso normal.

Apesar de  que muitos conhecimentos ainda precisem ser adquiridos sobre a doença, muitos progressos foram realizados nos últimos anos. Para se ter uma quantidade excessiva do tecido gorduroso, duas condições são essenciais, herança e alimentos...

Como sabemos, o Diabetes é o resultado da ação deficiente do hormônio insulina. Seja pela ausência de sua produção (Tipo 1), seja por secreção insuficiente para as necessidades (Tipo 2). A deficiência da sua ação acarreta alterações nos metabolismos das proteínas, das gorduras e dos açúcares.

Sobre os carboidratos, dois grandes problemas ocorrem. Além de não sermos capazes de metabolizar adequadamente os açúcares provenientes da dieta, passamos a produzir glicose de maneira exagerada, pelo nosso fígado. Ou seja, além de não os consumirmos como deveríamos, superproduzimos açúcar. Caso o problema fosse só déficit do consumo dos carboidratos, bastaria suprimi-los da dieta e a doença não mais existiria. 

Este mecanismo da nossa produção de glicose é tão necessário que vários dos nossos hormônios têm, entre outras ações, a capacidade de estimular a sua produção principalmente pelo fígado.

Assim, o cortisol e as catecolaminas produzidas pela glândula adrenal , hormônio do crescimento...

Apesar de sua aparência, o osso é uma estrutura metabolicamente muito ativa. Durante toda nossa vida, os ossos estão sempre em constante remodelação. Os tecidos mais antigos são substituídos por novos. E é justamente o aumento da massa óssea que nos faz crescer.
 
Isto ocorre porque nesta fase da vida produzimos mais osso do que destruímos, Aos 20 anos, atingimos o pico da nossa quantidade óssea. Após os trinta no entanto destruirmos mais osso do que formamos.Essa perda de massa óssea se processa de maneira muito lenta e na grande maioria das pessoas não acarreta maiores problemas, mesmo na 3ª idade.

A velocidade da perda, no entanto , aumenta muito nos primeiros anos após a menopausa. Algumas mulheres chegam a perder mais de 30% do seu patrimônio ósseo. Esta é razão porque a, osteoporose, ossos  fracos , é muito mais comum nas mulheres do que nos homens...

A maior...

A definição de transexual é de uma pessoa que deseja viver e ser aceito, como membro de um sexo diferente do que ele nasceu. O homossexualismo é caracterizado apenas pela atração erótica por pessoas do mesmo sexo. Apesar de ainda não acometer um grande número de pessoas, o transexualismo vem aumentando de maneira importante.

Estes indivíduos, além de serem severamente discriminados pela sociedade, não recebem,  na grande maioria das vezes, tratamento médico adequado, seja porque não procuram médicos por temor à discriminação, seja por desconhecimento dos profissionais de saúde sobre como tratar esses casos. Por conta disso, a Sociedade Americana de Endocrinologia, junto com várias outras entidades médicas, estabeleceu recentemente uma série de normas para o tratamento deste tipo de paciente.

As causas do surgimento de transexualismo são até hoje desconhecidas. Nenhuma pesquisa conseguiu descobrir uma anormalidade, seja hormonal, psicológica ou neurológica. Três tipos de especialistas devem ser envolvidos no...

Desde há muitos o sistema de saúde americano, tem sido criticado, pelos seus altos custos, e pela  sua muito baixa eficiência . É sem duvida, o país do mundo que mais gasta  com saúde , 15% do seu PIB , o que equivale a 6000 dólares por habitante/ano .

Gastos mais do que duas vezes o que a maioria dos países com sistemas de saúde eficientes , e em que todos os seus habitantes têm direito ao tratamento que necessitam.

Segundo a Organização Mundial de Saúde , em eficiência a saúde americana se localiza abaixo do quadragésimo  lugar, entre os países do mundo, localização inclusive inferior a vários países pobres. E se os custos são elevados, o pior ainda é que continuam a crescer. Apesar de toda esta despesa, cerca de 15% da população, o que equivale a  46 milhões de americanos, não tem direito a assistência médica quando adoecem.
...

O câncer de mama é um dos tipos de câncer mais comuns nas mulheres e o de próstata é a malignidade mais freqüente dos homens. Além da muita alta prevalência, o número de casos de ambos tumores vem aumentando.

Em 1980, o cálculo era que uma mulher em cada 12, iria apresentar a doença durante sua vida. Já em 2006, a probabilidade aumentou para 1 em cada 8 mulheres. Nos casos de tumores de próstata, a elevação foi ainda mais significativa. De 1 para cada 11 indivíduos em 1980, para 1 caso em cada 6 homens, em 2006.

Com números tão alarmantes, muitos países criaram programas com a intenção de detectarem estas patologias o mais precocemente possível. Basearam-se no princípio da cancerologia, de que quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maior a possibilidade de cura.

Assim, depois de uma certa idade, todos os homens deveriam realizar anualmente a dosagem...

Foi com este nome que ficou conhecida a gripe causada pelo vírus Influenza A H1N1

Até fevereiro deste ano, a Organização Mundial de Saúde (OMS) contabilizou apenas 16.226 casos de mortes decorrentes deste vírus. Mesmo se considerando- que muitas pessoas possam ter morrido, por conta desta doença, sem que aquela Organização tivesse tomado conhecimento, a mortalidade foi extremamente menor, do que se esperava no inicio da pandemia.

Apenas como comparação  4000 pessoas  foram assassinadas em Pernambuco no ano de 2009. Enquanto que apenas 5 casos de morte no estado, foram atribuídas ao vírus

Ou seja, um pernambucano  quase 1000 vezes mais chance de morrer assassinado, do que por aquela virose

Outro aspecto importante é que a mortalidade por gripe de uma maneira geral, foi menor no mundo em 2009, ano do surgimento da epidemia, do que em anos anteriores.

A prevalência da doença por outro lado se encontra estável ou...

Pagina 3 de 6

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes