Inovações em Diagnósticos Oncológicos


Dr. Reginaldo Albuquerque
Professor da UnB (1967-1981)
Superintendente de Ciências da Saúde CnPq (1982-1991)
Editor do site da Sociedade Brasileira de Diabetes (2005-2011)
Ex-Consultor em Educação da UnaSus/Fiocruz

 No ano de 2009 assistimos e participamos de um intensa discussão sobre as relações de diabetes e câncer. No passado, nesta mesma coluna, mostramos os caminhos que estavam nos levando à farmacogênomica  e ao uso de medicamentos personalizados.

Na figura ao lado. poderá ser visto um transcriptoma, de um  diabético que está sendo estudado em Ribeirão Preto.

Esta semana, a revista Nature, lançou um documento denominado de "Inovações no Diagnóstico Oncológico" onde, em 162 páginas, são descritos todos os avanços tecnológicos, as oportunidades de crescimento e o futuro do mercado.Tratá-se, portanto de um relatório fundamental, para os que trabalham com estas técnicas.

Estima-se que nos Estados Unidos, em 2008, surgiram 12 milhões de novos casos com seis milhões de mortes. A Organização Internacional de Saúde espera  em 2030 o dobro do número de casos. 

O relatório da Nature - que custa mais de tres mil dólares - analisa as últimas inovações no diagnóstico oncológico e identifica os caminhos mais promissores e as tecnologias mais excitantes, indo desde os diagnósticos por imagem, até as técnicas citológicas, diagnósticos moleculares e a fármacogenômica.  O relatório também identifica os desafios que os laboratórios  devem enfrentar para tornar estas práticas mais acessíveis e disponíveis, no dia a dia.

O documento cobre os seguintes aspectos:

  •  Hibridização, incluindo fluorescência in situ (HISH)
  •  PCR (polymerase chain reaction)
  • Testes para HPV
  • Biomarcadores e Imunoensaio
  • Microarranjos (microarrays)
  • Hibridização genômica comparativa    

Ele  é ainda muito importante ao discutir os aspectos comerciais e o desafio para o lançamento clínico destas técnicas, inclusive o impacto da recessão, o pagamento pelo sistema público, ou privado destas técnicas, as mudanças regulatórias, a farmacoeconomia e  o relacionamento entre a indústria e a academia.

Em suma, ele permite:

  1. Compreender as últimas inovações no mercado de testes oncológicos inovadores, incluindo o conjunto: diagnóstico por imagem, diagnóstico molecular e farmacogenética. A análise da literatura científica permite identificar o quê é realmente inovador.
  2. Identificar as áreas chaves cujas necessidades ainda não atendidas e quias os produtos que terão maior potencial de mercado nas próximas décadas
  3. Compreender os grandes desafios na área de oncologia diagnóstica e quais são as melhores estratégias para superar estes obstáculos.
  4. Compreender o mercado competitivo que as companhias tem que enfrentar e quais são os melhores parceiros, entre as companhias produtoras dos insumos.
  5. Compreender as últimas inovações e as principais aplicações no câncer familiar,câncer do seio, do colo e do pulmão.
  6. Rever a regulação do uso destas técnicas e da propriedade intelectual dos testes baseados em genética.


O anúncio deste relatório foi divulgado em 13 de Janeiro de 2009.

As principais companhias envolvidas nesta linha são: Abbot Diagnostics,Affymetrix, Beckman Coulter,Bio-Rad,Gen-Probe,Johnson & Johnson

Vejam outras matérias publicadas sobre os assuntos de genômica.

 

Dr. Reginaldo Albuquerque
Médico Endocrinologista. Editor do site da SBD. Research Fellow da Universidade de Londres (1975-1979). Ex-professor de endocrinologia da Universidade Brasilia (1967-1982). Ex-superintendente de Ciências da Saúde do CnPq (1982-1990). 

VOLTAR