Mortes por Diabetes Estão Aumentando no Brasil


Dr. Reginaldo Albuquerque
Professor da UnB (1967-1981)
Superintendente de Ciências da Saúde CnPq (1982-1991)
Editor do site da Sociedade Brasileira de Diabetes (2005-2011)
Ex-Consultor em Educação da UnaSus/Fiocruz

Nesta coluna, publicamos há 2 semanas uma notícia sobre a aceleração de casos de diabetes no mundo. Na ocasião relatamos a preocupação demonstrada pela Internacional Diabetes Federation, durante o seu Congresso Mundial  Anual de Diabetes em Viena. Hoje, o Ministério da Saúde do Brasil, divulgou pelo seu Departamento de Ciência e Tecnologia(DECIT), novos dados sobre as causas de mortalidade no país.

As principais informações são:

O perfil da mortalidade no Brasil está mudando. Cada vez mais pessoas estão morrendo de diabetes, fato que é atribuído pelo Ministério da Saúde ao aumento de pessoas com excesso de peso.

Em 1996, as mortes pela doença eram de 16,3 habitantes em cada 100 mil, taxa que passou para 24 a cada 100 mil em 2006. Os dados se referem à população entre 20 e 74 anos.
O aumento ocorre principalmente entre os homens com mais de 40 anos --2,3% ao ano, em média, considerado todo o período. Entre as mulheres da mesma faixa etária, o crescimento foi de 1% ao ano.

O retrato é tímido, já que se refere somente às mortes que tiveram o diabetes como principal causa (indicadas assim no atestado de óbito), não levando em consideração as doenças decorrentes dela.
Por outro lado, problemas cardiovasculares estão matando menos, apesar de liderarem o ranking das causas de morte (são 29,4% das conhecidas). A taxa passou de 187,9 por 100 mil habitantes para 149,4.

A queda é atribuída a tecnologias mais avançadas, ampliação dos acesso à saúde e, em grande parte, redução do tabagismo. Em 1989, uma pesquisa nacional apontou que 31% dos brasileiros eram fumantes. Em outro levantamento, feito em 2008 com moradores de capitais, o percentual foi de 16,1%.

Entre as doenças cardiovasculares, os principais vilões são AVC (acidente vascular cerebral), obstrução arterial e infarto do miocárdio. O câncer foi a segunda maior causa de morte registrada, responsável por 15% dos óbitos no país em 2006. Em terceiro lugar, vieram causas externas, como homicídios e acidentes de trânsito (12,4%). O ranking repete os últimos dados disponíveis até então, relativos a 2005.

A Sociedade Brasileira de Diabetes, que no momento, realiza o seu congresso em Fortaleza, mostra uma grande preocupação com estes novos dados.  Alguns estudos mais recentes apontam para a presença de 12 milhões de pessoas com diabetes no país, dos quais 50 % desconhecem que tem a doença.  Em 1988, quando foi publicado o primeiro censo sobre a prevalência no Brasil, este número era de 7 milhões. 

Os gastos diretos e indiretos com diabetes continuam desconhecidos, apesar de todos os nossos esforços para que novos estudos sejam realizados.  Quem sabe, se agora com esta divulgação, as autoridades de sáude se sensibilizarão no apoio às estas pesquisas,sejam as relacionadas com a prevalência, sejam com as estimativas de custo. 

 

Dr. Reginaldo Albuquerque
Médico Endocrinologista. Editor do site da SBD. Research Fellow da Universidade de Londres (1975-1979). Ex-professor de endocrinologia da Universidade Brasilia (1967-1982). Ex-superintendente de Ciências da Saúde do CnPq (1982-1990).

VOLTAR

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes