Pela primeira vez, foi realizado por um grupo de especialistas um consenso sobre pré-diabetes. Esta expressão tinha sido praticamente abandonada, mas nos últimos anos foi recuperada e, até recentemente, os especialistas não tinham um entendimento de como abordá-la.

Durante dois dias, no mês de julho de 2008, a Associação Americana dos Endocrinolgogistas Clínicos reuniu um grupo de especialistas para definir, com clareza, o quê deve ser feito. O documento liberado na manhã do dia 23 somente será publicado nas revistas científicas no fim deste ano. A seguir segue um resumo dos principais pontos levantados:

Definição

 

Trata-se de uma condição caracterizada por uma elevação nos níveis de glicose de jejum ou uma alteração, durante um teste de tolerância à glicose. Segundo o Centro de Controle de Doença dos Estados Unidos, 56 milhões de americanos estão nesta situação e podem desenvolver diabetes e/ou doenças cardiovasculares. Isto deve levar a um esforço para fazer...

Este ano, a comunidade científica precisou lidar com importantes e difíceis resultados de grandes estudos. Logo após à divulgação das pesquisas, diversos debates ocorreram das mais variadas formas. Reuniões científicas locais; discussões online, inclusive aqui no site da SBD; e, recentemente no 68th Scientific Session - Congresso da American Diabetes Association.

Para esclarecer alguns pontos, três especialistas fazem suas observações no Diabetes Hoje. A presidente da SBD, Dra. Marília de Brito Gomes, fala sobre o Advance; Dr. Domingos Malerbi, membro da diretoria, analisa o Accord; e o Dr. Antonio Carlos Lerário, ex-presidente da SBD, opina sobre o VADT.

  • Estudo ADVANCE

Dra. Marília de Brito Gomes, presidente da SBD

O ADVANCE (Action in Diabetes and Vascular Disease) foi um estudo: randomizado; controlado multicêntrico e multi-étnico; em uma população de 11.140 pacientes com DM2; história prévia de doença macro ou microvascular ou a presença de pelo menos um fator de risco para doença...

A revista científica inglesa Nature, no seu número de 4 de maio, publica um interessante estudo de um um grupo de pesquisadores do Institutuo Karolinska da Dinamarca.

A pesquisa foi liderada por Kirsty Spalding que demonstrou que o número de células de gordurapermanece fixo a partir de 20 anos. Depois desta idade, nada é capaz de diminuir essa quantidade, seja por tratamentos clínicos ou cirúrgicos.

A cada ano, independente de a pessoa estar gorda ou magra, 10% das células de gordura morrem. Porém, elas são substituidas por células mais jovens e mais ávidas em gorduras. O artigo tem o nome de "Dynamics of fat cell turnover in humans". A técnica utilizada incluiu a análise da integração de carbono radioativo no DNA da população estável dos adipócitos.

Esta é uma má notícia para todas as pessoas que precisam perder peso, pois os tratamentos assim não modificam o número de adipócitos e sim apenas...

Se depender do estudo, realizado pela empresa suíça de biotecnologia Cytos e publicado na revista Lancet, o consumo diário de medicamentos para a hipertensão pode estar com os "dias contados".

sso porque os pesquisadores desenvolveram uma vacina, capaz de inibir o hormônio angiotensina, que provoca a contrição das veias, aumentando a pressão sangüínea.

A vacina foi testada, em três doses diferentes, em intervalos de poucas semanas, em 48 pacientes. O resultado, comparado ao de outras 24 pessoas que tomaram placebo, foi a redução significativa da pressão sangüínea, com poucos efeitos colaterais, como sintomas leves de gripe. 

Além disso, 72 pacientes com insuficiência renal e hipertensão foram escolhidos, aleatoriamente, a partir de uma lista gerada por um computador, para receberem injeções subcutâneas.

O saldo final apresentou, principalmente, fatores como segurança e tolerabilidade.

Alternativa

Segundo os cientistas, a vacina, que só precisa ser tomada de quatro em quatro meses, poderá oferecer uma alternativa simples aos hipertensos, que necessitam de medicamentos diários para controlar...

O NEJM publicou, em meados de janeiro, o resultado de uma enquete sobre uma conduta terapêutica em diabetes do tipo 2. Foram mais de 400 respostas, vindas de todos os continentes. Cerca de 50 brasileiros responderam ao questionamento.

Os participantes de 123 países que votaram eram médicos especializados em diabetes (18%), médicos com outras especialidades (49%), médicos ou estudantes médicos em formação (17%), outros profissionais da saúde (12%), ou outras classificações (4%).

Os resultados detalhados foram exibidos de acordo com a especialidade no país no www.nejm.org. A percentagem de participantes, que selecionou um determinado tratamento, variou substancialmente quando as respostas foram estratificados em função dos participantes locais

Soltamos esta mesma enquete para os sócios da SBD e obtivemos 230 repostas. O resultado que tivemos mostra uma conduta divergente com relação ao resto do mundo, onde 50% disseram que a conduta era passar para insulina NPH à noite.

A partir deste resultado, consultamos alguns...

Um cliente - aqui nomeado como Eduardo - me enviou o seguinte e-mail:

Dr. Rodrigo

"Imagino que o artigo cujo endereço vai em anexo esteja causando muitas dúvidas em diabéticos. Sei também que essas pesquisas isoladas são insuficientes para conclusões seguras. Por isso, para colocar em contexto, é necessário o auxílio de quem é da área."

Leiam o meu aconselhamento e façam um "ACCORD(O) com o seus clientes:

Prezado Eduardo

Este estudo vem confundindo a cabeça de muita gente, inclusive (ou, eu diria, especialmente) de médicos e especialistas. A ciência é feita de dados refutáveis e há diversos fatores que podem produzir resultados espúrios e inesperados. Freqüentemente, a interpretação é o mais importante.

O problema: O Estudo ACCORD, que avalia diversas intervenções e risco CV futuro, teve um dos braços interrompido porque o risco de mortalidade observado foi maior no grupo com controle glicêmico intensivo, em relação ao grupo controle. Entretanto, algumas coisas...

A Atividade Física Pode Retardar o Envelhecimento Biológico
A fisiologia ensina que os organismos "vivem num estado biológico estacionário", ou seja, apesar de todos os processos bioquímicos que ocorrem constantemente, os seres, para continuarem vivos, têm que manter uma determinada ordem interna. A desarrumação, assim, não é compatível com a vida. Para um observador é como se nada mudasse além dos cabelos brancos, a perda de algumas funções, o aumento de algumas cartilagens como o nariz e as orelhas, a perda memória, mas na verdade nesta reconstituição algumas perdas sempre ocorrem.

A isto se chama de entropia e a morte seria o momento no qual o ser vivo perde totalmente a possibilidade de se reorganizar. A chave da longevidade estaria na preservação do DNA e a perda de alguns dos seus pedaços soltos, ao longo da vida, poderia ser a explicação para o envelhecimento precoce de algumas pessoas. A ciência entende...

André Reis
Escola Paulista de Medicina

O trabalho coordenado pelo Dr Gilberto Velho, da Unidade de Pesquisas U695 do INSERM, no Hospital Bichat em Paris e com a participação de pesquisadores brasileiros - da USP (Daniella Ferrarezi), de Porto Alegre (Guilherme Brenner) e da EPM (André Reis) - franceses foi motivado pelo conhecimento de que a doença cardiovascular (DCV) representa mais de 80% dos casos de morte em pacientes diabéticos tipo 2. O estudo foi publicado no jornal Diabetes da American Diabetes Association, na sua edição de Janeiro 2008.

estrutura_DNAFatores ambientais e genéticos (ainda pouco conhecidos) estão implicados neste fenômeno. Dentre os fatores relacionados a este risco aumentado, sabe-se da implicação dos mecanismos do stress oxidativo no leito vascular e na formação das placas de ateroma. A UCP2 funciona como limitador da formação de ROS (espécies reativas de oxigênio), estando relacionada a um efeito anti-aterogênico no leito vascular e, também, a um aumento da tolerância...

No começo de cada ano, as revistas - científicas e leigas - realizam uma resenha do que consideram como os avanços científicos mais significativos no ano que passou.

Escolhemos, nesta primeira coluna, para o conhecimento dos nossos leitores, as notícias publicadas em alguns destes veículos. Duas delas, o Science e o Nature, consideradas como os mais importantes nas ciências biomédicas. As outras duas publicações são leigas: o Time Magazine e o New York.

A nossa seleção é uma resenha das descobertas que estão ou poderão ter importância na forma como cuidaremos dos nossospacientes no futuro. Constituem aquilo que as publicações chamam de "breakthrough", que poderíamos traduzir como "um passo a frente" ou uma "quebra de barreiras" e passam a se constituir em novos paradigmas.

Vamos à nossa seleção, um pouco de cada publicação:

1Fim da discussão ética sobre células-tronco

No dia de "Ação de Graças" americano, Dr. Shinya Yamanaka, da Universidade de Kyoto, fez...

Na página principal do site acompanhamos as principais notícias deste evento.

Rodrigo Lamounier, Sergio Vêncio, Mauro Scharf, Marilia de Brito Gomes, Augusto Pimazoni nos mandaram importantes noticias do quê estava acontecendo no evento segundo a percepção e os interesses científicos de cada um.  Hoje, dia 5, passado todo o evento, o boletim do Medpage Today destaca os pontos que os seus observadores consideraram relavantes no Congresso e há uma feliz coincidência com o material enviado pelos colegas. 

Segundo o Medpage, se destacaram 12 assuntos. Clicando nos links abaixo você pode ouvir ou ler a matéria.  

1. EASD: Phase III Data Look Good for Novel Diabetes Drug
VIENNA -- An investigational drug targeting an insulin-independent pathway in type 2 diabetes produced early and substantial reductions in blood glucose and body weight in a phase III study 

2. EASD: Causes of Diabetes Explored
VIENNA -- Two basic-science researchers reviewed recent discoveries on the underlying causes...

Pagina 2 de 6

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes