Obesidade e Futebol

Dr. Rodrigo Nunes Lamounier
Médico endocrinologista
Doutor em endocrinologia pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)
Professor visitante da Faculdade de Medicina da Universidade da Pensilvânia (Filadélfia, EUA)
Diretor Clínico do Centro de Diabetes de Belo Horizonte (CDBH)
Médico do Hospital Mater Dei
Coordenador do Departamento de Atividade Física da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD)

A paixão pelo futebol pode ser ferramenta importante para controle da obesidade em homens.

Todos sabemos que a obesidade é um problema muito importante de saúde pública em todo o mundo. A prevalência de obesidade nos últimos 30 anos dobrou em todo o mundo, causando grande impacto na incidência de doenças degenerativas, como o diabetes e as doenças cardiovasculares.

Apesar da prevalência de obesidade estar crescendo muito, os homens, de maneira geral, tem mais dificuldade em se considerar obesos e em ser voluntários em estudos clínicos para tratamento da obesidade. Dados da literatura médica mostram que em estudos clínicos de obesidade os homens consistem em aproximadamente ¼ dos participantes, à semelhança do que é observado em programas clínicos públicos de emagrecimento no Reino Unido. Dados de programas comerciais de emagrecimento dão conta que os homens constituem apenas 15% da população que participa desses programas.

Assim, é muito importante uma estratégia de melhorar a adesão e a atratividade dos homens em programas e estudos para perda peso, especialmente se considerado que a perda de 5 a 10% do peso, já tem grande repercussão na saúde.

Foi publicado recentemente na revista Lancet um estudo que usou da paixão dos homens pelo futebol para estabelecer um programa de perda de peso em homens.

O estudo foi feito na Escócia, e em parceria com as equipes de futebol profissional da “Scottish Premier League”, a liga de futebol profissional do país. Basicamente os voluntários foram divididos de acordo como seu time de coração e randomizados (ou aleatorizados) em grupo controle (que recebeu uma orientação geral sobre cuidados com a saúde e o peso)e os que entraram no estudo, que consistiu em material educativo e reuniões semanais de 90 minutos de duração, por 12 semanas. As reuniões incluíam exposições sobre cuidados com a saúde e gerenciamento do peso e exercícios físicos supervisionados. Todos os materiais educativos foram feitos com as marcas dos respectivos times de futebol e os participantes tiveram a oportunidade de participar de uma sessão de treinamento físico em torno do campo, no estádio do seu time de coração.

Ao final do estudo, o primeiro impacto foi perceber que o estudo recrutou mais voluntários do que era o objetivo inicial. Depois, ao final das 12 semanas, o grupo 40% do grupo perdeu pelo menos 5% do peso, resultado que se manteve após 1 ano do estudo.

Assim, em época de Copa do Mundo, em que o futebol, se torna efetivamente a coisa mais importante, pode ser uma oportunidade de conscientização também dos clubes de futebol, retribuindo o amor de sua torcida pelo clube, ajudando os seus torcedores a cuidarem melhor de sua própria saúde.

Show de bola! Goleada de saúde!

Referência: Lancet 2014;383:1211-21.

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes