Dra. Rosangela Almeida                                                                            
Endocrinologista – Juiz de Fora - MG

 
Dados publicados do DPPOS (Diabetes Program Prevention Outcomes Study), não só demonstraram que a prevenção no desenvolvimento do diabetes tipo 2 em pacientes de alto risco durante o DPP (Program Prevention Diabetes) é sustentado  mas também o efeito da Metformina na perda de peso.

O DPPOS foi iniciado em setembro de 2002 com 2766 participantes, assim dividido: 910 no grupo de mudança no estilo de vida, 924 no grupo da metformina e 932 no grupo do placebo.

A perda de peso induzida pela Metformina foi quase exclusivamente devido à redução do tecido adiposo, mostrando um padrão diferente do observado com a restrição calórica, que...

Dra. Rosangela Almeida
Médica endocrinologista


Freda Miller, PhD, do Hospital for Sick Children em Toronto, mostrou em uma série de experimentos em cultura e em camundongos que a Metformina promoveu o crescimento de novos neurônios e melhoria da função neural.

Na primeira fase da pesquisa a Metformina em meio de cultura pode estimular o desenvolvimento de células nervosas de camundongos e humanos.

Na segunda etapa testaram os efeitos da Metformina em cenário da vida real em ratos. Os pesquisadores descobriram que ao injetar a Metformina em camundongos, novas células nervosas desenvolveram na área do cérebro responsável pelo aprendizado e memória.

Miller e colaboradores verificaram que para o desenvolvimento de células embrionárias precursoras neurais há a participação da molécula CREB-binding protein ou CBP e ativação da aPKC (proteína quinase C atípica). Os estudos revelaram que a Metformina promoveu a neurogênese ativando a via aPKC-CBP em células tronco neurais.

Concluindo:

Isto é potencialmente excitante...

Esta análise foi realizada com o intuito de avaliar a associação do peso com a mortalidade em adultos com diabetes recém diagnosticados. Sendo assim, analisaram o conjunto de cinco grandes estudos de coorte longitudinais:

1-Atherosclerosis Risk in Communities Study (1990 –2006).

2-Cardiovascular Health Study (1992 – 2008).

3-Coronary Artery Risk Development in Young Adults (1987 – 2011).

4-Framinghan Offspring Study (1979 – 2007).

5-Multi-Etnic Study of Atherosclerosis (2002 – 2011).

Um total de 2625 participantes com diagnóstico recente de DM2, incluindo homens e mulheres com idade acima de 40anos e classificados de acordo com o peso:

  • peso normal (IMC de 18,5 – 24,99 Kg/m²).
  • sobrepeso (IMC de 25 – 29,9 Kg/m²).
  • obesidade (IMC ≥ 30 kg/m²).

Através dos coortes, 293 participantes (média 11,2%) tinham peso normal no momento do diagnóstico. Um total de 449 mortes (17,1% dos coorte combinados; 165,5 por 10.000 pessoas-ano) ocorreu durante o acompanhamento:

  • 178 (6,8%) de...

Dra. Rosangela Almeida
Médica endocrinologista

As taxas de mortalidade entre os jovens com diabetes têm diminuído substancialmente ao longo de um período de 40anos de acordo com as estatísticas dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Para avaliar essas tendências, o CDC avaliou dados do Sistema Nacional de Estatísticas Vitais de Morte dos Estados Unidos com diabetes durante o período de 1968 – 2009.

Os resultados dessa análise mostraram que de 1968-1969 para 2008-2009, a taxa de mortalidade por diabetes entre os jovens com idade ≤ 19anos diminuiu 61%, passando de 2,69 para 1,05/milhão. Já a taxa de mortalidade entre os jovens < 10anos diminuiu 78%, passando de 1,80 para 0,39/ milhão.  Entre os jovens de 10-19anos essa taxa diminuiu 52%, passando de 3,56 para 1,71/milhão.

Apesar de esses dados terem algumas limitações segundo os analistas as possíveis razões para as quedas nas taxas de mortalidade...

Trata-se de uma revisão sistemática e meta-análise de estudos sobre pacientes portadores de esquizofrenia e transtornos relacionados, com o objetivo de esclarecer a taxa de prevalência da Síndrome Metabólica levando em conta as características de cada país envolvido, estágio da doença, o tratamento com os diferentes antipsicóticos e a duração da doença.

Foram avaliados 25.692 pacientes, envolvendo 27 países ou regiões no período de 2003 a julho de 2011.

Analisaram 77 publicações contendo 294 análises (126 análises principais e 168 análises de subgrupos). As análises de subgrupos foram compostas por pacientes em uso de antipsicóticos.

Das 126 análises principais, 84 (66,7%) utilizaram DSM-IV-TR para definir esquizofrenia e psicoses relacionadas e 18 de 126 (14,3%) utilizaram CID-10 como critério, porém 24 utilizaram julgamento de especialistas clínicos. Um subgrupo de 66 análises avaliaram pacientes com esquizofrenia pura sem psicose.

É evidente que os pacientes com esquizofrenia apresentam altas taxas  de doenças cardiovasculares...

Sabemos que diabetes mellitus é um fator de risco para o desenvolvimento de demência, porém desconhece se os níveis de glicose mais elevados que aumentam o risco de demência em pessoas sem diabetes.

O estudo teve um seguimento de 6,8 anos num total de 2067 participantes todos pertencentes ao estudo Adult Changes in Thought – 839 homens e 1228 mulheres com idade média de 76 anos no inicio do estudo, com 232 diabéticos e 1835 não diabéticos.

Foram realizados 35.264 medições de glicose em jejum e 10.208 medições de hemoglobina glicada com a finalidade de examinar a relação  entre os níveis de glicose e o risco de demência.

Observaram o desenvolvimento de demência em 524 participantes (74 com diabetes e 450 sem diabetes). Entre os participantes sem diabetes, os níveis de glicose médios mais elevados (nível glicêmico de 115 mg/dl quando comparado a um nível de glicose de 110 mg/dl) ...

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes