Nos dias 26,27 e 28 de abril último, o governo dos Estados Unidos, através do seu órgão correspondente, ao nosso Ministério da Saúde, o NIH, National Institutes of Health, realizou um encontro nacional sobre estes problemas.

Naquela ocasião foram analisados os dados da literatura médica, dos 20 últimos anos, pelos cientistas envolvidos na área. Afinal a doença de Alzheimer é um problema de saúde pública dos mais importantes. Com um número de doentes muito grande e que vem dobrando a cada 5 anos, resultado do envelhecimento da população.

Muitos gastos, 148 bilhões de dólares/ ano e já é a sexta causa de morte dos americanos!

Entende-se por cognição ao conjunto das varias habilidades que temos: memória, linguagem, compreensão, aprendizagem, atenção, orientação, julgamento, etc. Com o decorrer dos anos, os idosos  apresentam declínio das funções cognitivas.Na maioria dos casos, felizmente esta diminuição é discreta dificuldades na memória recente e na velocidade de...

A Copa do Mundo é o principal assunto no Brasil, quase que o único.

A cobertura jornalística dada é tão massacrante, que chega a desagradar até ao torcedor fiel. Não existe quantidade de noticiário esportivo suficiente para preencher todo tempo destinado pelas emissoras na cobertura do evento. Como resultado os jornalistas, são obrigados “caçar”as notícias.

Uma das saídas são as informações, a maioria delas sem nenhuma importância, sobre dados da vida pessoal dos nossos craques. Ando receoso, de que sejamos informados sobre quais jogadores tem hemorróidas e ou prisão de ventre, e ou quais as fantasias sexuais dos nossos zagueiros. Esse massacre, já é uma condição de estresse para um grande número de brasileiros.

Por outro lado, a disputa de um título mundial em um esporte que nos julgamos líderes, é uma condição estressante muito maior. Além disso, a lista de jogadores convocados pelo nosso técnico, o Dunga, não agradou...

Desde a primeira morte causada por automóvel em 1896, o número de acidentes de trânsito não pára de crescer.

Atualmente morrem por ano 1,2 milhão de pessoas, e 50 milhões ficam com sequelas graves. Uma morte a cada 30 segundos.

Hoje os acidentes de trânsito representam a nona causa de mortalidade, mas em 2020 deverão ser a terceira.

O Brasil é destaque negativo em números absolutos e relativos.

É um dos trânsitos mais matadores das Américas, só perdendo para Venezuela e El Salvador. A nossa taxa de mortalidade por veículos, é seis vezes maior do que a japonesa.

E nas nossas rodovias, morre 10 a 20 vezes mais do que nos países  desenvolvidos. O que poderemos fazer para modificar estas tão tristes estatísticas?

Melhorar as condições de segurança dos carros. A indústria automobilística tem investido muito nesse segmento. Os veículos de hoje são muito seguros do que eram uma década atrás. Melhorar na organização do tráfico...

Uma em cada 2000 crianças nascem com uma genitália não adequadamente diferenciada, como pênis ou vagina, uma genitália ambígua. As causas para que isto aconteça são várias.

Uso de drogas pela mãe, doença genéticas, anormalidade na produção dos hormônios pelo feto, não determinada etc. Quando isto acontece, a equipe medica estuda todos os aspectos dos órgãos envolvidos no determinismo sexual A gônada (ovário ou testículo), a genitália interna. (útero, trompas ou próstata ), os hormônios, os cromossomos (com ou sem o Y).  

Após analisar os dados encontrados, médicos e familiares decidem qual o sexo que a criança irá adotar. Na maioria dos casos, existe uma  tendência  a decidir-se pelo feminino. A razão é simples, é muito mais fácil criar cirurgicamente uma estrutura que possa funcionar como vagina, do que como pênis.  

Nos últimos anos, vem se interrogando se este tipo de conduta é a mais correta. Em muitos...

Os hormônios femininos foram por mais de uma década, os medicamentos mais prescritos nos Estados Unidos. Duas pesquisas publicadas em revistas americanas, no entanto reduziram drasticamente o seu uso.

O HERS (Human and Estrogens/Progestin Replacement Study), publicado na década de 90, e o WHI(Women’s Healthy Initiative) concluído em 2002.

Estas duas pesquisas demonstraram, que o uso de estrógenos, nesta época de vida, aumentava importantemente a incidência de varias doenças: infarto do miocárdio, acidente vascular cerebral, câncer de mama e útero, trombose venosa com consequente embolia pulmonar, calculo de vesícula, foram algumas delas.

Até então, acreditava-se que a  ação hormonal, além da comprovada atuação sobre os sintomas típicos climatérios (fogachos, palpitações, vagina ressequida, sintomas urinários), teria muitas  outras  atuações benéficas.

Melhorias sobre a depressão e ansiedade comum neste grupo etário, retardamento do envelhecimento, diminuição da massa óssea, e inclusive importante proteção contra os infartos e derrames.

Por conta disso, todas as...

No século 20, foi o período da história em que houve o maior aumento na sobrevida humana. Nos países desenvolvidos cerca de  30 anos, a maior quantidade de anos vividos, também ocorreu nas nações em desenvolvimento.  

O Brasil   foi um dos recordistas, entre as décadas de 50 e 90. A expectativa de vida dos brasileiros aumentou de 20 anos, nesse período. E como se conseguiu tamanha melhoria  naquele século?  

Nas primeiras décadas os fatores principais foram às evoluções não médicas, melhora na nutrição, no saneamento, na moradia etc. Após a década de 40 a evolução da medicina passou a ser o principal  responsável.  

Novas drogas, vacinas, novos procedimentos, novos recursos diagnósticos e terapêuticos surgiram, em quantidades e velocidades, até então nunca ocorridas.  

Há muito, os países desenvolvidos, aumentam os gastos em saúde mais do que o crescimento de suas economias. Como resultado, a expectativa de  se atingir...

Todos os pais, obviamente, desejam que seus filhos tenham as melhores características possíveis. Belos, inteligentes, saudáveis e com peso e altura ideais.

Infelizmente, todas essas qualidades em uma só pessoa quase nunca acontecem. A sociedade atual valoriza sobremaneira a aparência das pessoas. E a altura, é dos aspectos mais importantes.

Alguém já afirmou que nos Estados Unidos, é mais importante ser alto do que ter um diploma universitário. Na eleição presidencial americana, quase nunca o candidato mais baixo venceu. Quando em um casal, a mulher é mais alta, a sociedade diagnostica sempre ser ela a chefe da união.

O fato é que a preocupação com estatura é motivo frequente de consulta ao pediatra e ou ao endocrinologista. A primeira tarefa do profissional é verificar se a queixa tem realmente fundamento.

Em um bom número de casos, a altura do filho se encontra dentro dos seus parâmetros  normais para sua idade,...

O crescimento do número de obesos, é uma preocupação não só dos países desenvolvidos, mas também dos em desenvolvimento.

Brasil inclusive.

As modificações que as sociedades vem experimentando, são apontadas com as maiores razões. Cada vez mais alimentos calóricos,  e atividades físicas cada vez menos.

Além disso, contribui de maneira importante, o fracasso da medicina em descobrir o método de tratamento eficaz para o problema.

Assim a maioria dos obesos, estará infelizmente mais pesada, dois anos após do ínicio de uma tentativa terapêutica. A precariedade do tratamento atual, se deve grandemente a pouca importância que a ciência médica deu a obesidade, por décadas.

A visão antiga era que o excesso de peso não era uma problemática médica. O portador do excesso ponderal, era o único culpado.

Hoje sabemos, que o acumulo excessivo de gordura, depende também e principalmente de outros fatores.

No últimos anos, vem se descobrindo cada vez mais alterações...

Nos Estados Unidos há um movimento, ainda incipiente, de tratar um maior numero de pacientes em suas casas. A proposta é a de diminuir significantemente as hospitalizações.

Já existe inclusive uma associação de profissionais, que defendem esta idéia (American Academy of Home Care Physicians). O século passado foi marcado pelo um grande aumento do número e ocupação dos hospitais.

Os sistemas de saúde, de uma maneira geral sempre se organizaram, com a preocupação básica, as doenças agudas. No entanto, por conta do envelhecimento da população a epidemia de doenças crônicas, aumenta cada vez mais.

O prognostico é que existirão em 2030, nos Estados Unidos, mais de 70 milhões de indivíduos com mais de 65 anos. Ora, 90% dos com essa idade tem pelo menos uma doença crônica, hipertensão, diabetes, doença cardíaca, ósteoarticular, vascular cerebral etc.

E em 25%dos casos são pelo menos duas. Neste tipo de população também existe, em...

A maioria dos nossos pelos corporais é resultante da ação dos hormônios masculinos sobre os órgãos produtores de pelos, os folículos pilosos.

Por ocasião da nossa adolescência, existe um aumento da produção desses tipos de hormônios, pelas glândulas adrenais. Como resultado surge, em ambos os sexos, os pelos axilares e pubianos.

Denomina-se hirsutismo, o aparecimento de pilificação semelhante a estas, em outras regiões do corpo das mulheres. Nos homens é considerado normal o surgimento de pelos em qualquer lugar.

No entanto, nunca existem pelos em algumas regiões, como nas palmas das mãos e plantas dos pés, por não existirem folículos pilosos nestas áreas.

O hirsutismo, pilificação anormal nas mulheres, quase sempre causa grandes transtornos emocionais, principalmente nas de pele branca e as de classes sociais mais elevadas.

Como todo hormônio, a ação dos masculinos depende da sua produção e da sua recepção periférica, no caso, ao nível dos folículos pilosos....

As vitaminas são substâncias essenciais ao nosso organismo. Participam milhares de reações químicas, que ocorrem simultaneamente no nosso metabolismo.

Quando em quantidades não adequadas, causam problemas sérios de saúde. Grandes déficits, podem até acarretar a morte.

A fonte principal das vitaminas é a dieta. A vitamina D, ao contrário das outras, tem como sua principal fonte de fornecimento, a ação dos raios solares sobre a pele.

O composto ali formado, ao passar pelo fígado sofre uma modificação química, uma, hidroxilação, se transformando na 25 (OH) Vitamina D. Ao passar pelo rim, nova hidroxilação, formando-se assim a 1,25 (OH) Vitamina D, também chamada Vitamina D3. Está é a forma ativa da vitamina, e que tem como principais ações, nos ossos e no metabolismo do cálcio e fósforo.

È por esta razão que os portadores de Insuficiência Renal Grave, são deficitários desta vitamina, pela incapacidade dos rins de produzi-la. E a sua...

A síndrome da Tensão Pré- Menstrual, é uma condição extremamente freqüente e controvertida. Algumas estatísticas mostram que mais de 70% das mulheres, durante a fase da vida que são férteis, apresenta pelo menos, alguns dos sintomas da síndrome.

A condição é definida como um conjunto de sintomas físicos e ou psíquicos que acontecem na 2ª metade do ciclo menstrual. Geralmente, desde o 12ª dia que antecede a menstruação.

Esses sintomas desaparecem logo nos primeiros dias de sangramento, mas voltam a ocorrer nos ciclos seguintes. São descritos muitos sintomas, dezenas. Desconforto mamário, sensação de inchaço, tristeza algumas vezes com idéias suicidas, ansiedade, pânico, choro fácil, irritabilidade, insônia, aumento ou a aversão de atividades sexuais, dificuldade da concentração, dores articulares, cefaléia e apatia são alguns deles.

Felizmente na maioria das mulheres, eles não são numerosos e nem muito intensos. No entanto, em algumas delas, a intensidade sintomática é tão intensa que prejudica...

Em 1993 foi concluído um projeto científico patrocinado pelo governo americano, chamado Human Genome Project .

O seu objetivo foi identificar os mais de 20.000 genes, da espécie humana. A sua conclusão foi considerada pela comunidade cientifica, como um grande progresso para a medicina.

A sua importância foi comparada a das descobertas das vacinas e dos antibióticos.

Os benefícios que esta pesquisa trariam para a humanidade seriam grandiosos.

A identificação dos genes, que condicionariam no futuro, determinadas doenças, permitiriam que evitássemos os fatores ambientais, que colaborassem com seu surgimento.

Além disso, seria possível diagnosticar as patologias precocemente, aumentando a possibilidade de sucesso terapêutico.

Uma pessoa que tivesse os genes que muito provavelmente fariam lhe surgir, no futuro, um câncer de esôfago, seria desde cedo que submetida a endoscopias digestivas.

E ao menor surgimento de uma lesão, a trataríamos. Além disso, no futuro, com a evolução tecnológica poderíamos inclusive modificar os genes maus.

Isto nos levaria, sem dúvida a...

O médico é quem mais sabe de que o estilo de vida saudável, pode prevenir varias doenças. Fazer exercícios  físicos com regularidade, evitar o excesso de peso  não fumar, não beber ou fazê-lo com moderação, respeitar o tempo de lazer e descanso, etc. O profissional de medicina  conhece isso muito bem e indica esse tipo de comportamento para os seus clientes. Além disso, ele conhece como ninguém, os sintomas das doenças.

Por conta disso, deveria ser capaz de fazer diagnósticos precoces em si mesmo, iniciando precocemente a terapêutica, melhorando assim a probabilidade de sucesso terapêutico. Por conviver diretamente com outros médicos, tem maior facilidade de acessá-los. Pelo seu conhecimento, é capaz  de escolher o profissional mais habilitado para tratá-lo.

Com todas estas vantagens, era de se esperar que o médico tivesse melhores indicadores de saúde e maior longevidade. Deveria se esperar que isto ocorresse mas não acontece, aliás, muito pelo contrário. O...

A Escherichia coli (E.coli) tem sido manchete na imprensa mundial nas últimas semanas. Trata-se de uma bactéria conhecida desde 1865. O seu habitat natural é o intestino do homem e de animais de sangue quente. No nosso intestino existem muito mais bactérias do que a soma de todas as nossas células corporais. Uma pessoa evacua diariamente cerca de 1 trilhão de escherichias. Com a E.coli, existem muitas outras bactérias  no nosso intestino.

O nosso organismo tem uma convivência pacífica com elas, chamada de simbiose. Elas não nos agridem, não penetrando nas nossas mucosas intestinais, ou produzindo substâncias que nos sejam tóxicas. Por outro lado, o nosso sistema imune as reconhece como “amigas”, e como tal, também não as tenta expulsá-las. Nesta convivência, elas desempenham um papel importante, favorecendo absorção dos nossos alimentos e por eles são alimentadas. Nos últimos tempos, tem se levantado a hipótese de que tenham também importância...

A soja é uma leguminosa utilizada pelos chineses há milênios. No ocidente, o seu consumo em larga escala só iniciou na década de 60, e desde então não para de crescer. Durante muito tempo os Estados Unidos foram o seu maior produtor, no entanto, desde 2003 a produção na América do Sul, Brasil em primeiro lugar, ultrapassou a dos americanos.

A sua composição agrada aos nutricionistas. Na forma de grãos, tem 40% de proteínas, 34% de carboidratos, 15% de minerais, óleos poliinsaturados e fibras. Sendo portanto, livre de gorduras saturadas e colesterol. Além disso, os seus ácidos graxos fazem com que tenha uma ação benéfica sobre os níveis de colesterol sanguíneo dos seus consumidores. Na forma de “leite”, a quantidade de carboidratos diminui para 2,5%. Esta composição, aparentemente muito saudável,  seria um dos fatores para baixa incidência de doenças cardiovasculares entre os japoneses, possui o maior consumo.

Outro grande mérito...

São poucas as vantagens que o excesso de peso, traz a saúde dos seus portadores. As mulheres com quantidade excessiva de gordura tem menos sintomas quando na menopausa e é menor a chance de ter grande perda óssea, atingindo o estágio de osteoporose.

Tanto as mulheres como os homens com peso excessivo, são menos acometidos de tuberculose pulmonar, porém, na quase totalidade de outras doenças o excesso ponderal faz ser mais prevalente e ou mais grave, algumas delas são inclusive extremamente mais freqüentes nos mais pesados.

No Diabetes do Tipo 2, 80% dos acometidos apresentam quantidade aumentada de tecido adiposo. Em 70% hipertensos, o problema também está presente. A elevação de uma das gorduras do sangue, o triglicerídeo é extremamente mais frequente entre eles. Por conta dessas desvantagens os obesos costumam ter uma qualidade de vida e longevidade inferior aos de peso normal. Apesar de todas as repercussões negativas, a...

Até a pouco, o conhecimento científico afirmava que, na quase totalidade dos casos de excesso de peso, não havia causa hormonal. As exceções seriam extremamente raras. A Síndrome de Cushing seria uma delas. Nela existe uma produção excessiva por parte da glândula adrenal do hormônio cortisol.

No Brasil, no entanto, existe entre os leigos uma crença de que em muitos casos o aumento de peso das pessoas deve-se à deficiência da tiróide. Este conceito está absolutamente errado. Baseou-se no fato de que no hipertiroidismo, quando a tiróide produz hormônios em excesso, o paciente perde peso.

Ora, se o aumento da função tiroideana causa perda ponderal, a sua deficiência acarretaria aumento. Nada mais falso.

No hipotiroidismo, a deficiência dos hormônios tiroideanos, definitivamente, não causa a obesidade.

Em alguns casos dessa doença, quando severa, pode haver um discreto aumento de peso à custa de edemas (inchação), mas não de gordura.

Pelo fato...

Esta vitamina nos últimos anos tem sido motivo discussão. Ao contrário das outras vitaminas, que têm como fonte única a ingesta de alimentos, ela tem a nossa pele como principal fornecedora. Sobre a ação dos raios solares neste órgão é que se inicia a sua síntese. Depois disso, pela corrente sanguínea ela atinge o fígado e em seguida os rins.

Sofre nessas duas passagens modificações químicas, para finalmente se tornar a forma ativa.

Esta substância, o calcitriol, age como um hormônio em vários órgãos. A contribuição dos alimentos para os seus níveis circulantes é apenas em torno dos 10%. São poucas as comidas que a contém, isto mesmo em pequenas quantidades: bacalhau, salmão, sardinha, cogumelos são algumas delas.

As clássicas áreas de atuação da vitamina D são no intestino e os rins, onde estimulam a absorção no cálcio e fósforo, e nos ossos. Assim, quando a sua quantidade é insuficiente...

Quanto maior for o problema, maior é o número de medidas inócuas criadas como pseudo soluções. E quanto maior o número de pseudo soluções, menor é o número de propostas e estratégias realmente criativas e eficazes para a solução dos problemas. A obesidade é uma perigosa epidemia que vem avançando em todo o mundo a passos largos e mostra-se resistente às várias tentativas para o seu controle efetivo.

Em setembro de 2012, a Comissão de Saúde da Prefeitura de Nova Iorque determinou a proibição da venda de frascos de refrigerantes açucarados com mais de 16 onças (cerca de 480 ml), com a nobre motivação de auxiliar no combate à obesidade, muito embora tal estratégia representasse apenas uma gota d’água no oceano de fatores que geram e que nutrem generosamente a epidemia de obesidade. Sem dúvida, o excesso de consumo de refrigerantes açucarados é um problema sério, mas talvez seja mais crítico...

Nos últimos números temos discutido neste espaço alguns assuntos que vão além de diabetes. É o que fazemos mais uma vez ao apresentar a proposta do Presidente americano para o sistema de saúde do seu país.

Nela, identificamos vários propostas ,que são situações que temos também no Brasil, como a da atuação dos planos de sáude. A matéria nos foi enviada pelo Dr. Alberto Ramos que tem especial interesse pelo assunto. (Nota do Editor)

Por que precisamos da reforma da saúde, por Barack Obama.

The New York Times
Barack Obama

Nosso país está envolvido no momento em um grande debate sobre o futuro do atendimento de saúde na América. E ao longo das últimas semanas, grande parte da atenção da mídia se concentrou nas vozes mais barulhentas.

O que não ouvimos fomos as vozes dos milhões e milhões de americanos que enfrentam silenciosamente todo dia um sistema que frequentemente funciona...

NOTA DO EDITOR DO SITE - UMA IMPORTANTE RESENHA SOBRE UM ASSUNTO RECENTE.

Nas últimas semanas vem ocorrendo uma discussão acalorada de uma possível relação entre o uso da insulina glargina e câncer. As Sociedades Científicas do mundo inteiro tem se pronunciado sobre o assunto pedindo, sobretudo, cautela a todos os usuários destas insulinas.

Como não poderia ser diferente, no Brasil, a SBD e a SBEM divulgam,  nos seus sites, notas oficiais.o. Além disso, vários especialistas fizeram os seus pronunciamentos. Aqui publicamos uma coletânea destes comentários procurando orientar aos diabéticos sobre o assunto (Reginaldo Albuquerque - editor do site).

Leiam também as notas oficiais das entidades nos seguintes links:

Nota da SBD - Dra. Marilia Brito Gomes 
Nota da SBEM - Dr. Saulo Cavalcanti

O ALVO, AGORA, SÃO AS INSULINAS
(OU, UM NOVO TERREMOTO) -  Dr. Alfredo Halpern


Eis que novas pesquisas populacionais (na verdade, 4 estudos retrospectivos) levam à suspeita de que o uso das insulinas (em...

Nesta edição do “Diabetes Hoje” apresentamos o dia a dia científico do Congresso Americano de Diabetes – ano 2009 -  e que está sendo realizado na cidade de New Orleans nos Estados Unidos.  O material está sendo obtido a partir das agências internacionais e pelos brasileiros presentes no evento

 Dia 5 – Sexta-feira
Título da sessão – Resultados do Estudo RECORD

 Foram apresentados os resultados do Rosiglitazone Evaluated for Cardiac Outcomes and Regulation of Glycemia in Diabetes (RECORD). Este estudo clínico encontrou que a thiazolidinediona, rosiglitazona, quando adicionada a outras drogas usadadas  em  monoterapia não aumentam o risco cardiovascular, tanto com relação à morbidade com a mortalidade. Há, no entanto, um aumento de risco de infarto do miocárdio,insuficiência cardíaca e fraturas, como já tinha sido relatado em outros estudos. 

A apresentação dos dados foi feita por  Philip  Home que examinou os desfechos de 4447 pacientes com diabetes do tipo 2, que usaram a...

No último número da coluna, o Dr.adipocytes Amélio Godoy-Matos relatou um dos seus estudos relacionados com as lipodistrofias e mostrou algumas alterações relacionadas com a proteína transportadora da vitamina A (RBP4), que seria mais uma das proteínas produzidas pelos adipócitos.

Para muitos, a endocrinologia nasceu com a descoberta de um hormônio gastrointestinal: a gastrina, que atuaria na produção do ácido clorídrico pelo estômago. 

Por muitas décadas, os endocrinologistas desviaram a sua atenção do trato digestivo e só nos últimos 40 anos voltaram os seus estudos para o tubo gastrointestinal, tido hoje como um importante órgão endócrino. 

De 1975 a 1979 houve uma explosão de descobertas de novos hormônios no sistema digestivo. Trabalhando no Hammersmith Hospital, no laboratório do Prof. Steve Bloom, tive a oportunidade de participar destes trabalhos que resultaram na descrição da neurotensina, do VIP, da bombesina, da colecistoquinina e do enteroglucagon, entre outros. Chegamos a publicar um trabalho relacionando os seus...

Em 2007 escrevíamos no prefácio do livro eletrônico “Diabetes na Prática Clínica” que havia uma grande esperança em quatro novas drogas para o tratamento do diabetes: a família das glitazonas, o rimonabanto, o grupo das incretinas e a insulina inalada.

O ano de 2008 mostrou que, exceto as incretinas, as demais traziam mais problemas do que benefícios. Algumas foram retiradas do mercado – caso do rimonabanto – outras passaram a usar, por exigência do FDA, tarjas pretas nas suas bulas com advertências que iam desde a possibilidade de fraturas até importantes problemas mentais. 

Um dos casos mais emblemáticos foi o da insulina inalada. Lançada com grande pompa e festas no mundo inteiro, foi retirada do mercado meses após o lançamento. O que deu errado, o quê aprendemos e qual futuro que agora se apresenta é o que pretendemos analisar neste artigo.

A resistência ao uso de insulina é o fato conhecido,  tanto dos  médicos como dos pacientes,...

Deu na Globo e você precisa saber, pois seu paciente já deve estar  perguntando, em razão de ter ouvido e visto a notícia, ou porque algum amigo, parente ou conhecido ligou para ele e contou que viu ou ouviu dizer a respeito. E você, de novo, não sabe de nada! Nós, médicos, trabalhamos o dia todo e raramente temos tempo de assistir TV, daí enfrentarmos esse problema!

A notícia diz respeito a um microchip que ajudará no controle do diabetes. A reportagem cita e mostra um microchip, que está sendo desenvolvido por cientistas da Universidade Federal de Itajubá, em Minas Gerais, que promete simplificar o tratamento da diabetes. Este microchip, segundo eles, será implantado na pele e monitorará a quantidade de insulina no corpo, auxiliando o paciente, assim, a controlar a doença.

A equipe de desenvolvimento, coordenada pelo professor Tales Pimenta, desenvolve os minúsculos sistemas, que vão armazenar informações importantes...

O ensaio da hemoglobina glicada (A1C) tem sido considerado o padrão-ouro na avaliação do controle glicêmico de pacientes com diabetes.

Constitui um preditor das complicações crônicas da moléstia, sendo que intervenções que acarretam redução ou normalização da A1C resultam em diminuição do risco de desenvolvimento de tais complicações, conforme demonstrado pelos estudosDiabetes Control and Complications Trial (DCCT) e United Kingdom Prospective Diabetes Study (UKPDS).

O seu uso prático tem sido extremamente difundido, tornando-se quase indispensável na prática clínica. É um marcador do bom ou mau controle do diabetes e, de maneira geral, reflete os níveis glicêmicos dos últimos três meses.

Esta edição do Jornal Brasileiro de Patologia e Medicina Laboratorial (JBPML) apresenta um artigo de revisão sobre a importância da determinação da A1C no monitoramento das complicações crônicas do diabetes. Em apresentação bastante didática, o artigo de Andriolo e Sumita tece considerações sobre a importância da A1C no controle do diabetes, da padronização dos diferentes...

Esta linha de pesquisa vem ganhando muita importância e vários estudos clínicos estão sendo feitos em todo o mundo. Aqui no Brasil, um dos principais centros que as estudam é o coordenado pelo Dr. Edgard Niclewiz, que há mais de 15 anos já tinha demonstrado que a ciclosporina podia reverter o quadro de agressão sobre as células betas de pacientes recém-diagnosticados com diabetes do tipo 1.

Este diálogo Mauro Scharf x Eduardo Couri, que reproduzimos com exclusividade para a coluna "Diabetes Hoje", mostra a atual situação destas linhas de investigação. Convidamos a todos a participarem e contribuírem para o debate sobre o assunto. 

O que diz Mauro Scharf - Endocrinologista Pediátrico, em Curitiba, e participante do próximo Simpósio da SBD, em Curitiba. Consultor do Laboratório DASA

Existem alguns estudos que estou acompanhando à distância e que tenho profundo interesse. Caso você veja algo, please update me... 

São eles:

MMF/DZB - Type 1 diabetes TrialNet. 
Rituximab - TrialNet ....

Pela primeira vez, foi realizado por um grupo de especialistas um consenso sobre pré-diabetes. Esta expressão tinha sido praticamente abandonada, mas nos últimos anos foi recuperada e, até recentemente, os especialistas não tinham um entendimento de como abordá-la.

Durante dois dias, no mês de julho de 2008, a Associação Americana dos Endocrinolgogistas Clínicos reuniu um grupo de especialistas para definir, com clareza, o quê deve ser feito. O documento liberado na manhã do dia 23 somente será publicado nas revistas científicas no fim deste ano. A seguir segue um resumo dos principais pontos levantados:

Definição

 

Trata-se de uma condição caracterizada por uma elevação nos níveis de glicose de jejum ou uma alteração, durante um teste de tolerância à glicose. Segundo o Centro de Controle de Doença dos Estados Unidos, 56 milhões de americanos estão nesta situação e podem desenvolver diabetes e/ou doenças cardiovasculares. Isto deve levar a um esforço para fazer...

Este ano, a comunidade científica precisou lidar com importantes e difíceis resultados de grandes estudos. Logo após à divulgação das pesquisas, diversos debates ocorreram das mais variadas formas. Reuniões científicas locais; discussões online, inclusive aqui no site da SBD; e, recentemente no 68th Scientific Session - Congresso da American Diabetes Association.

Para esclarecer alguns pontos, três especialistas fazem suas observações no Diabetes Hoje. A presidente da SBD, Dra. Marília de Brito Gomes, fala sobre o Advance; Dr. Domingos Malerbi, membro da diretoria, analisa o Accord; e o Dr. Antonio Carlos Lerário, ex-presidente da SBD, opina sobre o VADT.

  • Estudo ADVANCE

Dra. Marília de Brito Gomes, presidente da SBD

O ADVANCE (Action in Diabetes and Vascular Disease) foi um estudo: randomizado; controlado multicêntrico e multi-étnico; em uma população de 11.140 pacientes com DM2; história prévia de doença macro ou microvascular ou a presença de pelo menos um fator de risco para doença...

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes