Você sabia que a METFORMINA pode piorar o desempenho esportivo?

Dr. Roberto Zagury

  • Endocrinologista do LPH - Laboratório de Performance Humana

Quer saber mais sobre esse assunto polêmico? Acesse a nossa coluna do mês de Outubro!

Este assunto será o tema de uma das palestras do Dr Roberto Zagury no Congresso da SBD. Ainda não fez a sua inscrição? Não perca! Clique aqui e venha nos encontrar em Natal!

Pois é... infelizmente esta informação confere! Alguns estudos recentes têm mostrado que a metformina (MTF) pode “tomar” parte dos benefícios decorrentes da prática de exercício físico. Isto foi estudado em praticantes sem DM, com pré-DM e também naqueles com DM2. Mas calma! Não há razão para desespero. Em 1º lugar porque estes resultados precisam ser replicados em trabalhos com um N mais expressivo e também em trabalhos com “follow-up” mais prolongado. Existem também alguns questionamentos com relação a metodologia empregada em alguns destes “trials” e por fim, a magnitude deste impacto negativo não pode ser “superdimensionada” (tampouco “subdimensionada”). Mas o fato é que: precisamos acompanhar como este “inconveniente científico” vai se desenrolar nos próximos anos. Precisamos estar a par de tal fato. Então vamos lá... farei a seguir um resumo dos principais estudos envolvendo este complicado tema para você leitor da nossa coluna:

- O 1º estudo, conduzido por Sharoff e cols (1), foi realizado com 9 participantes não-DM, portadores de sobrepeso que foram randomizados para MTF 2g/dia ou placebo (PBO) durante 3 semanas. Após este período foram submetidos a uma sessão única de exercício após a qual foram feitas biópsias musculares e um clamp euglicêmico hiperinsulinêmico. No grupo PBO houve melhora de 54% na sensibilidade à insulina enquanto que no grupo MTF não houve melhora alguma. Ou seja, a exposição prévia a MTF aboliu o benefício do exercício.

- O 2º trabalho que gostaria de citar foi realizado por Malin MK e cols (2). Foi um RCT, duplo-cego, envolvendo 32 pacientes com pré-DM no qual os participantes foram randomizados para uma de 4 opções: 1) PBO; 2) MTF 2g/d; 3) PBO + exercício ou 4) MTF + exercício. Neste caso o exercício oferecido aos participantes da pesquisa foi um programa de treinamento com duração de 12 semanas e envolvendo exercício aeróbio em combinação com exercício de resistência. Ou seja, diferente do 1º estudo citado no qual o exercício foi estudado como “single bout” aqui foi estudado um programa de treinamento bem estruturado. Mais uma vez, o método de avaliação da sensibilidade à insulina escolhido foi o clamp (método padrão-ouro para este fim) e se constatou que a MTF atenuou em 30% a melhora na sensibilidade à insulina exercício-induzida.

- Por fim vale citar também que há trabalhos nos quais o uso da MTF “on-top off” exercício se associou a uma redução no VO2 máx. Ou seja, uma diminuição na capacidade aeróbia.

Sendo assim, apesar do racional extremamente favorável para se usar de forma combinada a MTF com o exercício (uma vez que ambos melhoram a sensibilidade a insulina via ativação de AMPk), talvez sejam necessários mais estudos para entendermos melhor esta “combinação terapêutica”. Por hora preciso reiterar o que disse no início desta coluna: NÃO DEIXEM DE PRESCREVER MTF! Sigam usando do mesmo modo que sempre usaram. A ideia aqui não é criar alarde. A questão é: que tal abrir um pouco a cabeça e aceitar que, eventualmente, algumas novidades no universo científico podem desafiar conceitos vigentes. Temos que lembrar que, na medicina, nem sempre “1 + 1 = 2”! Mas que o exercício faz muito bem a saúde e que a MTF é um excelente medicamento para pré-DM e para DM2 isso não muda...

Espero que tenham aproveitado a coluna deste mês... aguardamos vocês por aqui em NOVEMBRO! Repostem este link em suas mídias sociais, marquem no Instagram e o Facebook da SBD e nos ajudem a divulgar informação científica séria !

Bons treinos !

@robertozagury

O Dr Roberto Zagury é endocrinologista do LPH

(Laboratório de Performance Humana)

Referências Bibliográficas:

  1. Sharoff CG, Hagobian TA, Malin SK et al. Combining short-term metformin treatment and one bout of exercise does not increase insulin action in insulin-resistant individuals. Am J Physiol Endocrinol Metab 2010;298:E815–E823
  2. Malin SK, Gerber R, Chipkin SR et al. Independent and Combined Effects of Exercise Training and Metformin on Insulin Sensitivity in Individuals With Prediabetes. Diabetes Care 2012;35:131-6
  3. Malin SK, Braun B. Impact of metformin on exercise-induced metabolic adaptations to lower type 2 diabetes risk. Exerc Sport Sci Rev 2016;44(1):4-11