Significado da Páscoa, reunião em família e Diabetes

A Páscoa é um festival que celebra a ressurreição de Jesus ocorrida três dias depois da sua crucificação no Calvário, conforme o relato do Novo Testamento. É a mais antiga e importante festa cristã, um ritual de passagem, assim como a "passagem" de Cristo, da morte para a vida. Muitos costumes passaram a ser associados à Páscoa, como a caça aos ovos, o coelho da Páscoa e a Parada da Páscoa.

No Antigo Egito, o coelho simbolizava o nascimento e a nova vida. Alguns povos da antiguidade consideravam o coelho como o símbolo da lua, portanto, é possível que ele tenha se tornado símbolo pascal devido ao fato de a lua determinar a data da Páscoa. O certo é que os coelhos são notáveis por sua capacidade de reprodução, e geram grandes ninhadas, e a Páscoa marca a ressurreição, vida nova, tanto entre os judeus quanto entre os cristãos.

O ovo também é um símbolo da páscoa, pois representa o começo da vida. Vários povos costumavam presentear os amigos com ovos, desejando-lhes boa passagem para uma vida feliz. O Ovo da Páscoa é um ovo feito de chocolate normalmente recheado com surpresas. Há também uma grande quantidade de pratos típicos ligados à Páscoa e que variam de região para região.

Pela receita de amor, união e reflexão que o momento inspira, a maioria das famílias aproveita para se reunir em um belo almoço na Sexta-Feira Santa, com um cardápio especial, pois o costume de não se comer carne nessa época pede pratos à base de peixe.

Para quem tem diabetes, esse momento em família deve ser muito bem articulado para manter o bom controle glicêmico. Os pratos típicos a base de peixes, geralmente são muito saborosos e nutritivos, pois apresentam nutrientes interessantes como o ômega 3, o qual favorece o controle das gorduras e redução de risco cardiovascular. De qualquer forma, as quantidades a serem ingeridas devem ser adequadas ao plano alimentar individual.

Em relação aos chocolates, diet ou não, ambos possuem quantidades consideráveis de carboidratos e gorduras em sua composição. Os diet, por exemplo, a retirada do açúcar não reduziu muito o teor de carboidrato da porção, pois ele apresenta frutose do cacau e lactose do leite, além de manter alto teor de gorduras, que favorece o ganho de peso e prejuízo no controle glicêmico. Para quem faz contagem de carboidratos, o ideal é ajustar bem as doses de insulina ultra rápida ao teor de carboidratos ingerido nesses alimentos. Para quem não aplica insulina ou não faz contagem de carboidratos com ajustes de doses de insulina, a porção de carboidratos a ser ingerida no chocolate deve ser substituída por outro carboidrato do plano alimentar. Contudo, como se trata de um alimento rico em calorias e gorduras, a moderação é sempre a melhor pedida para curtir a páscoa com saúde.

Em média 1 porção de ovo de páscoa de 25g, o que equivale a uma barra pequena de chocolate, tem 13g de carboidratos. Os chocolates amargo ou meio amargo tendem a ter um teor menor de carboidratos pela não utilização de leite na composição. Essa porção de carboidrato contida em 25g de chocolate equivale ao mesmo teor de carboidratos contidos em 1 fruta média, meio pão ou 1 fatia de pão de forma, 1 copo de leite ou 1 colher de açúcar.

A seguir estão duas receitas para seu cardápio de páscoa ficar ainda mais especial.

Feliz Páscoa!

Confira as receitas em nosso hotsite:


 

 

 

VOLTAR

Você não tem permissão para enviar comentários

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes