Dr. Augusto Pimazoni-Netto - CREMESP 11.970

  • Doutor em Ciências (Endocrinologia Clínica) pela Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
  • Coordenador do Grupo de Educação e Controle do Diabetes do Hospital do Rim – Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP
  • E-mail: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

O custo crescente dos medicamentos utilizados para o tratamento do diabetes é um importante obstáculo nos esforços para promover um melhor controle do diabetes. Essa constatação é válida tanto para os fármacos já disponíveis há muito tempo  como para as mais recentes  opções farmacológicas. Em outras palavras, será que o custo aumentado dos novos fármacos está valendo a pena? E os parâmetros de eficácia e segurança são realmente convincentes?

 

A Organização Mundial da Saúde desenvolveu estas diretrizes para fornecer orientações sobre a seleção de medicamentos para intensificação do tratamento no diabetes tipo 2 e sobre o uso de insulina (humana ou analógica) no diabetes tipo 1 e 2. O público-alvo inclui clínicos, formuladores de políticas, gerentes de programas nacionais de diabetes e agentes de aquisição de medicamentos. A população alvo são adultos com diabetes tipo 1 ou 2 em ambientes de poucos recursos em países de baixa ou alta renda. As diretrizes também se aplicam a populações desfavorecidas em países de alta renda.

 

As recomendações foram formuladas por um grupo de desenvolvimento de diretrizes de 12 membros e baseiam-se em revisões sistemáticas de alta qualidade identificadas por meio de uma pesquisa em vários bancos de dados bibliográficos de 1º de janeiro de 2007 a 1º de março de 2017. O sistema GRADE (Avaliação, Desenvolvimento e Avaliação de Recomendações) foi utilizado para avaliar a qualidade das evidências e a força das recomendações. A diretriz foi revisada por 6 revisores externos.

 

Recomendação 1:

Administre uma sulfonilureia a pacientes com diabetes tipo 2 que não atinjam o controle glicêmico com metformina em monoterapia ou que tenham contraindicações à metformina (forte recomendação, evidência de qualidade moderada).

 

Recomendação 2:

Introduzir o tratamento com insulina humana em pacientes com diabetes tipo 2 que não atingem o controle glicêmico com metformina e / ou sulfonilureia (forte recomendação, evidência de qualidade muito baixa).

 

Recomendação 3:

Se a insulina não for adequada, pode ser adicionado um inibidor da dipeptidil peptidase-4 (DPP-4), um inibidor do sódio-glicose cotransportador-2 (SGLT-2) ou uma tiazolidinediona (TZD) (recomendação fraca, evidência de qualidade muito baixa). ).

 

Recomendação 4:

Use insulina humana para controlar a glicose no sangue em adultos com diabetes tipo 1 e em adultos com diabetes tipo 2 para quem a insulina é indicada (forte recomendação, evidência de baixa qualidade).

 

Recomendação 5:

Considere os análogos de insulina de ação prolongada para controlar a glicose sanguínea em adultos com diabetes tipo 1 ou tipo 2 que têm hipoglicemia severa frequente com insulina humana (recomendação fraca, evidência de qualidade moderada para hipoglicemia grave).

 

COMENTÁRIO FINAL:

Vamos avaliar se essas recomendações são efetivamente adequadas para promover melhores cuidados às pessoas com diabetes? A recomendação 3, por exemplo, recomenda o uso de um inibidor da DPP-4, um inibidor da SGLT-2 ou uma glitazona. Porém, na avaliação de desempenho  terapêutico essa indicação é considerada como “recomendação fraca e evidência de qualidade muito baixa”. E então, qual a conclusão que podemos tirar desse conflito estranho?

 

Fonte: Roglic G, Norris SL et al.Medicines for Treatment Intensification in Type 2 Diabetes and Type of Insulin in Type 1 and Type 2 Diabetes in Low-Resource Settings: Synopsis of the World Health Organization Guidelines on Second- and Third-Line Medicines and Type of Insulin for the Control of Blood Glucose Levels in Nonpregnant Adults With Diabetes Mellitus   Ann Intern Med. 2018;169(6):394-397. DOI: 10.7326/M18-1149

Você não tem permissão para enviar comentários