A culpada da crise é a má alimentação dos nossos políticos

Dr. Reginaldo Albuquerque

  • Professor da UnB (1967-1981)
  • Superintendente de Ciências da Saúde CnPq (1982-1991)
  • Editor do site da Sociedade Brasileira de Diabetes (2005-2011)
  • Ex-Consultor em Educação da UnaSus/Fiocruz

De repente, quase que de repente, os políticos começaram a ficar confusos.

Raciocínios tortuosos, comportamentos inapropriados, discursos que não diziam coisa com coisa.  Alguns, adeptos de uma dieta vinda dos pampas. Outros em jantares e recepções sem fim.

Jornalistas do mundo inteiro, sociólogos, antropólogos, cientistas políticos, sindicalistas e é claro os economistas, procuram explicá-la com os argumentos do seu viés profissional.

Como médico, estudioso das relações entre nutrição e funcionamento cerebral, não posso deixar de meter a minha colher nesta lambança e começo declarando: a forma de se alimentar dos políticos é a grande culpada da crise. E passo a explicar.

O EIXO INTESTINO-CÉREBRO: OS DOIS CÉREBROS DO ORGANISMO.

Durante, o desenvolvimento embrionário, uma porção pequena do tecido fetal se divide. Uma se torna o sistema nervoso cerebral (o cérebro e nervos da espinha), enquanto uma outra parte forma o sistema nervoso intestinal, embebido em camadas de tecido que vão da boca, esôfago, estômago, intestino delgado, colo e anus.

Os cientistas descobriram que existe uma relação importante entre o bioma intestinal e o bem estar. Denomina-se microbioma um conjunto de bactérias que vivem no trato intestinal. Dos nossos pais recebemos 23 mil genes. Um número pequeno, quando comparados com os 3.3 milhões de genes, provenientes de bactérias alojadas no corpo exercendo funções importantes. Produzem micronutrientes essenciais, regulam o sistema imunológico e nos protege contra os germes virulentos.  

O ambiente intrauterino onde se desenvolve a gestação é estéril, mas as primeiras bactérias começam a habitar o bebê durante o parto.  Elas estão no canal vaginal e são absorvidas durante o trajeto para o exterior. Com um mês de vida já existem milhões de bactérias no intestino do recém-nascido. Os bebês, nascidos por partos cesarianos, levam até seis meses para terem o mesmo número de bactérias.  São transferidas principalmente pela amamentação.

O intestino tem 9 metros de comprimento, 500 milhões de neurônios e trilhões de células que nem humanas são.  Controla muito do fazemos, influencia o que pensamos e fica dentro da nossa barriga.

O bate-papo entre os dois cérebros se faz por três mecanismos: fisicamente pelo nervo vago que vai do cérebro ao aparelho digestivo, pelos neurotransmissores e hormônios gastrointestinais levados pela corrente sanguínea. 

A grelina e a leptina, que estimulam e inibem o apetite, respectivamente são dois destes hormônios. Quando um dos cérebros se torna doente, outro também sofre.  Cada um influencia o outro.  Quem nunca teve uma diarreia diante de um stress ?

A DIETA PODE MUDAR AS BACTÉRIAS INTESTINAIS E AFETAR A FUNÇÃO CEREBRAL

Pesquisadores da Universidade da California demonstraram que mudanças na alimentação, promovem alterações no funcionamento do cérebro, principalmente, em áreas relacionadas com cognição e às emoções. 

Há uma queda na produção de serotonina e mensagens desencontradas podem ser enviadas ao cérebro comprometendo o bom funcionamento dos neurônios, abrindo caminhos para a depressão, alterações de cognição, confusão mental e perda do raciocínio.   O reconhecimento, que sinais enviados do intestino, modulam a atividade cerebral abre um longo caminho para o tratamento de várias doenças crônicas, mentais e neurológicas.

Existem uns provérbios antigos que dizem “você é o que você come”, “fulano tem o rei na barriga” ou ainda “aquele só tem porcaria na cabeça”.

Resta aos estudiosos da gastronomia brasiliense refletirem sobre o que estão servindo aos políticos brasileiros. É a minha última esperança para a solução da crise.  Afinal, onde anda aquela pitada de coragem e honradez que era servida ao Ulysses Guimaraes no Piantella 1.0

VOLTAR

Você não tem permissão para enviar comentários

Comentários  

Luiz Flavio Leite 26-07-2016 08:04
Meu amigo Reginaldo, mentor intelectual.
você sempre brilhante, vou passar pra frente.
Abraço,
Luiz Flavio
Pedro Cardoso 24-07-2016 19:41
Caro amigo, li seu trabalho. Gostei. Com simplicidade, clareza e pragmatismo você abordou um assunto complexo e contundente. Ciência pura. Parabéns, Pedro Cardoso
Luiz Augusto Calsulari 15-07-2016 19:04
Reginaldo,
Achei bem interessante o seu artigo. Quem sabe mudando a dieta dos politicos, podemos mudar o Brasil.
É sempre uma esperança a mais, mas dá pena acompanhar a politica brasileira.
Já enviei o artigo para os meus contatos.
Obrigado por compartilhar o artigo comigo.
Bom final de semana.
Luiz Augusto
Observação: para alguns políticos sociopatas acho que não tem dieta que resolva.
Eratóstenes Araújo 13-07-2016 23:29
Consequência imediata de seu artigo: a comida no Brasil sempre foi ruim e tem piorado bastante. E comumente se atribui a culpa aos cozinheiros (eleitores). Mas como mostro no post SOMOS REFÉNS http://eratostenesaraujo.blogspot.com/2016/07/somos-refens.html isto não é verdade. Mutatis mutandis podemos afirmar que os cozinheiros são os mesmos DJ's mencionados no post.
Reginaldo Albuquerque 13-07-2016 11:22
Atualização em 12/07/2016
MICROBIOTA NA SAÚDE E NA DOENÇA - REVISÃO NO NATURE REVIEWS.

http://links.ealert.nature.com/s
Reginaldo Albuquerque 10-07-2016 09:02
Atualização em 09/07/2016 - 8.30 hrs
Microbioma e doenças hepáticas, incluindo as hepatites não alcóolicas
Veja no link http://www.medscape.com/viewarticle/860179
Reginaldo
Reginaldo Albuquerque 10-07-2016 08:59
Atualização em 09/07/2016 - 9 horas - Estratégias para melhorar o microbioma
Revisão muito boa e publicada em março de 2016
http://www.medscape.com/viewarticle/860179
Reginaldo Albuquerque 10-07-2016 08:54
Atualização em 09/07/2016 - Como avaliar o microbioma das pessoas?
No link abaixo tem uma revisão sobre o assunto. Embora seja de 2014 descreve os princípios básicos para as pesquisas clínicas.
http://www.medscape.com/viewarticle/828715
Reginaldo
Laura 08-07-2016 10:07
Super interessante e oportuno!
Vitor Gomes Pinto 08-07-2016 09:57
Meu bom amigo Reginaldo,
obrigado pelo envio das oportunas e inteligentes reflexões gastronômicas!
Tomara que o Francisco (o dos restaurantes) as leia.
Lembro outro ditado, que mais ou menos assim diz: todo brasileiro tem fígado (problemas de), querendo dizer que os distúrbios direta ou indiretamente relacionados são os que mais perturbam o dia-a-dia do nosso povo.
Como diz "meu" endócrino: o fígado também envelhece.
Abraços
Aloysio Achutti 08-07-2016 09:50
Atualizando: 08/07/2016 - 9.49 am
Gut bacteria eating brain chemicals Veja no link
https://www.newscientist.com/article/2095769-gut-bacteria-spotted-eating-brain-chemicals-for-the-first-time/#.V36vdKue39Q.email
Reginaldo Albuquerque 08-07-2016 09:43
Link recebido agora - 08/07/2016 - BUGS E DM1
Bugs no bioma e DM1

http://www.medscape.com/viewarticle/865069?nlid=107789_435&src=WNL_mdplsfeat_160705_mscpedit_diab&uac=37939PJ&spon=22&impID=1147526&faf=1
Aloizio Achutti 08-07-2016 09:40
Caro Reginaldo, Grato por mais esta primorosa página. Posso divulga-la também, com o respectivo crédito?

Abaixo :coloquei o link para um artigo inacabado, escrito há mais ou menos três meses, mas que lida com o mesmo assunto do teu texto anterior. Estava com dificuldade de dar-lhe um fecho, deixei de lado. Quando recebi o teu, procurei mas tive dificuldade de encontrar. Hoje o encontrei e estou te remetendo em troca, com algum entusiasmo para concluí-lo.
Um abraço
https://docs.google.com/document/d/1lRvAA1N2mGn6ne6I-t97QiPWV51nH1JK7dFnflSGeMg/edit?usp=sharing
Francisco Neves 08-07-2016 09:37
Desculpe a demora em responder. Na realidade deixei o artigo aberto pra ler e foi passando . Só fiz hoje. Achei excepcional. Só mudaria o título - A CULPA DA CRISE SÃO AS BACTÉRIAS INTESTINAIS DOS NOSSOS POLÍTICOS
Já passei pra frente.
abraço e obrigado
chico
Briquet Lemos 08-07-2016 09:35
Briquet

Adorei! Posso colocar no Facebook?

Abraço
Bonfim Tobias 08-07-2016 09:31
Meu caro Reginaldo, boa tarde,
Extremamente oportuno esse seu artigo. Sempre soube da relação cérebro/intesti nos. Desde criança pensava nessa relação. Quando eu tinha uma disfunção intestinal, por exemplo constipação, tinha forte crise de labirintose. E, em uma das vezes das nossas idas a Paris, tive notícia, na Universidade, de que sobretudo franceses, alemães e irlandeses, estão fazendo biópsia de intestetino (videcolonoscop is), estudando células, semelhantes às do cérebro, dando idéia de muito provávelmente aparecimento futuro de doença de Parkinson. E há casos de depressão endógena e suicídios ligados alterações intestinais.
Grato, amigo, por mais esse ensinamento.
Laura Gris Mota 08-07-2016 09:28
Oi Reginaldo,

Adorei o texto!!
Laura Gris
Geniberto Paiva Campos 08-07-2016 09:26
GENIAL,
Nada melhor, a atual conjuntura, do que combinar cieência, bom humor e política.
Valeu.

abs, geniberto
Luiz Carlos Lobo 08-07-2016 09:25
Muito bom o artigo
Suzana Melo Franco 08-07-2016 09:21
Bom dia, amigo.

Simplesmente excelente artigo.
Será porque eu não me surpreendo com um texto desses partindo de você?
Saudades!

Outras Ideias e Comentários

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes