Isolamento social, higienização de mãos e uso de equipamentos de proteção individual contra o coronavírus (COVID-19) – Informações para a população geral e população com diabetes

Isolamento social, higienização de mãos e uso de equipamentos de proteção individual contra o coronavírus (COVID-19) – Informações para a população geral e população com diabetes

Enfª Drª Rebecca Ortiz La Banca, membro do Departamento de Enfermagem da SBD, pesquisadora do Joslin Diabetes Center – Boston, USA.

Enfª Drª Cristiane Pavanello Rodrigues, enfermeira infectologista, professora adjunta da Escola Superior de Saúde de Santa Maria - Porto, Portugal.

O Brasil enfrentará semanas difíceis com a pandemia do coronavírus, o COVID-19. Muitas instituições já implementaram medidas para isolar socialmente a população, como suspensão de aulas, cancelamento de eventos, reuniões, festas, fechamento de parques/praias, com a finalidade de diminuir qualquer oportunidade de reunir muitas pessoas em um mesmo ambiente, sendo que a medida principal de contenção da transmissão do COVID-19, é ficar em casa (isolamento social).

Quanto menos pessoas circularem nas ruas, ou nos transportes e espaços públicos, menor será a chance de contato com o coronavírus e, consequentemente, de contágio. É importante lembrar que muitos serão portadores assintomáticos do coronavírus, isto significa que você, apesar de carregar o vírus, não terá sintomas, não sentirá nada, ou terá sintomas leves, quase imperceptíveis (dor de cabeça leve, garganta avermelhada/dolorida, nariz escorrendo), mas será capaz de contagiar outras pessoas, que poderão desenvolver a doença, COVID-19, inclusive de forma grave.

As recomendações sobre isolamento social, higienização rigorosa das mãos e o uso de equipamentos de proteção individual fora do contexto de atenção à saúde se aplicam a população em geral e às pessoas com diabetes.

Essas medidas são as recomendações essenciais para o controle da transmissão do coronavírus, mas existem dúvidas:

  • Mas e aqueles que não tem opção e precisam sair de casa? Por exemplo, os que trabalham em serviços essenciais (farmácias, supermercados, hospitais).
  • E quando você precisar sair para fazer compras de alimentos e medicamentos e tiver que, de fato, sair de casa, como deve se proteger e proteger os outros?

Para as compras opte, sempre que possível, compras online ou com entrega em casa. No entanto se tiver que ir a um local físico, procure comprar no comércio próximo de sua casa e que possa, preferencialmente, ir a pé, fortaleça o comércio do seu bairro. Nestes casos o ideal é escolher horários que sabidamente o fluxo de pessoas é menor, por exemplo, logo cedo quando o estabelecimento acabou de abrir, ou mais tarde antes de fechar. Alguns locais já estão oferecendo horários alternativos para idosos ou pessoas “em risco”, ou controlando a entrada para que não ultrapasse o número limite de pessoas dentro do estabelecimento, informe-se das rotinas. Nas filas dos caixas mantenha a distância segura de pelo menos 1 metro entre as pessoas. Evite múltiplas viagens, organize-se para sair o menor número de vezes possível. Higienize suas mãos após as compras e ao chegar em casa de forma rigorosa.

No caso de pessoas que não conseguem trabalhar de casa e precisam de transporte público, devem realizar a higienização rigorosa das mãos e não devem tocar o rosto, boca, olhos e nariz. Ao chegar em casa é recomendado a troca de roupa e banho de chuveiro. No ambiente de trabalho devem evitar lugares mal arejados e com muitas pessoas juntas. Use a “etiqueta” respiratória ao tossir ou espirrar, protegendo com lenço ou papel descartável, ou ainda com o braço. Não compartilhe alimentos, copos e garrafas.

Mas se você usar luvas e máscara, poderá continuar suas atividades normais?

O uso de luvas não substitui a higienização de mãos, sendo que a prática de higienização de mãos é a medida mais eficaz para o controle da transmissão do coronavírus, dentro e fora de casa, mas devem ser reforçadas quando a possibilidade de exposição ao coronavírus é maior, ou seja, fora de casa. O álcool gel não é melhor ou superior a higienização com água e sabão, ou seja, quando não há sujidade visível, ambos são igualmente eficazes. Para mais informações sobre higienização de mãos, entre no link: http://portal.anvisa.gov.br/coronavirus/audiovisual

Luvas e máscaras são equipamentos de proteção individual utilizados em serviços de atenção à saúde para o cuidado de pessoas contaminadas ou suspeitas. Esses equipamentos não substituem a higienização de mãos e, pelo contrário, podem se tornar veículos de disseminação do coronavírus, pois podem dar uma falsa sensação de segurança, fazendo com que haja o toque de superfícies e pessoas de forma descuidada, com contaminações, sendo que o mesmo ocorre com o uso da máscara facial.

A máscara cirúrgica (aquela mais simples que não é rígida) impede que as gotículas que saem das vias aéreas quando a pessoa fala, tosse ou espirra se espalhem. Por isso, a máscara protege a pessoa que está com COVID-19 de transmitir para quem não está doente. Sendo que neste momento, mais do que nunca, é importantíssimo preservar os estoques desses equipamentos de proteção para aqueles que realmente necessitam usá-los. Não compre luvas e máscaras se você não tem sintomas do coronavírus, ou se não está com o COVID-19, ou se você não esteve próximo de alguém que tem o vírus/suspeita que tem.

As máscaras faciais podem estar em falta e devem ser guardadas para os profissionais de saúde e cuidadores.

Recomendações para o Uso de Máscara:

  • Não há recomendações de uso de máscara facial (qualquer tipo) para as pessoas que estão bem, com a finalidade de se protegerem de doenças respiratórias, incluindo o COVID-19. Você só deve usar uma máscara se um profissional de saúde o recomendar.
  • Uma máscara facial deve ser usada por pessoas que têm COVID-19 e estão apresentando sintomas, ou são casos suspeitos. Isso é para proteger outras pessoas do risco de serem infectadas.
  • O uso de máscaras faciais também é crucial para os profissionais de saúde e outras pessoas que cuidam de alguém infectado com COVID-19 em locais próximos (em casa ou em um estabelecimento de saúde).
  • Use uma máscara facial somente se estiver doente, com sintomas do COVID-19:
  • Se você NÃO estiver doente:você não precisa usar uma máscara facial, a menos que esteja cuidando de alguém que está doente e que não possa usar a máscara.

Fontes:

https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/specific-groups/get-ready.html

http://portal.anvisa.gov.br/coronavirus