Tabagismo e Diabetes: Como complicar uma situação já delicada

1 – Qual a influência do tabagismo na saúde das pessoas?

As principais consequências do tabagismo para a saúde das pessoas já são conhecidas desde há muito, incluindo desde a doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) até o câncer de pulmão, entre outras complicações cardiovasculares importantes, como o infarto do miocárdio.

2 – Quais são as consequências diretas e indiretas que o tabagismo acarreta em pessoas com diabetes?

São várias as consequências do tabagismo como pode ser constatado pelas ilustrações de advertências estampadas nos maços de cigarro. Por sua vez, as pessoas com diabetes mal controlado estão mais sujeitas a complicações cardiovasculares, renais e oculares. Portanto, se a pessoa com diabetes também for tabagista, existe um conjunto de fatores adversos atuando sobre os mesmos órgãos alvo.

3 – Comente sobre o estudo realizado nos Estados Unidos que gerou o relatório especial do Centers for Disease Control and Prevention.

Avaliando uma população de 3,9 milhões de indivíduos, esse estudo dividiu os participantes em 3 categorias distintas, sendo que em nenhuma delas havia pessoas com diabetes já diagnosticadas no início do estudo. Em comparação com as que nunca fumaram, o risco relativo de desenvolver diabetes foi 14% maior em ex-fumantes, 25% maior em fumantes leves (0-15 cigarros/dia) e 54% maior em fumantes pesados (>15 cigarros/dia)

Estudos avaliaram os possíveis mecanismos envolvidos no aumento do risco de complicações em pessoas com diabetes fumantes. Entre eles, destacam-se os seguintes fatores: a promoção da obesidade central, as concentrações mais altas de cortisol nos fumantes e o aumento de marcadores inflamatórios e do estresse oxidativo em fumantes. Além disso, a nicotina parece se ligar a receptores nicotínicos das células beta do pâncreas, produtoras de insulina e, assim, reduzir diretamente a secreção de insulina.

4 – As pessoas com diabetes do tipo 1 como as do tipo 2 apresentam as mesmas consequências?

O estudo não avaliou se haveria diferenças de complicações entre as pessoas com diabetes tipo 1 ou tipo 2. Provavelmente, as consequências sejam as mesmas.

5 – Quais são os benefícios que a pessoa pode ter ao parar de fumar?

Os estudos mostram que são necessários cerca de 12 anos após a interrupção do tabagismo para que o risco relativo da ocorrência de complicações possa ser detectado em ex-fumantes.

6 – Quais são as dicas para a pessoa parar de fumar?

A nicotina é uma das drogas mais difíceis de abandonar depois que o indivíduo já se viciou no tabagismo. Em geral, ocorrem várias tentativas de parar de fumar, mas os resultados não são muito animadores.

7 – Há alguma mudança no controle da glicemia ao parar de fumar?

Creio que ainda não haja nenhum estudo avaliando o impacto do tabagismo especificamente sobre o controle glicêmico. Os estudos já realizados estavam focados no objetivo de avaliar o impacto do tabagismo sobre as diversas complicações do diabetes.

Outras Notas e Informações

A Medicina e a Fé

05 Novembro 2018

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes