Mantenha hábitos saudáveis e diga não ao Diabetes

A Secretaria Municipal da Saúde de Neópolis, através da Secretaria Conceição Vasconcelos, juntamente com o Centro de Diabetes de Sergipe, realizou o Mutirão em homenagem aos Pais, no Mês dedicado a Eles, no dia 29 de agosto de 2015 das 8 às 12 horas, sendo que as atividades ocorreram na Rua do Bomfim (em frente ao SESP ) Neópolis, Sergipe.

Importante salientar que a Cidade de Neópolis, distante 121 quilômetros de Aracaju, é considerada a capital sergipana do frevo, mantendo a tradição do bloco Zé Pereira durante os carnavais. O frevo, comum em Recife e Olinda, em Pernambuco, invade as ruas de Neópolis, com a multidão cantando e dançando ao som de marchinhas do grande Mestre Caiba. Situada às margens do Rio São Francisco, a cidade tem uma vista maravilhosa e destaca-se por possuir duas igrejas católicas na mesma praça, uma de frente pra outra.

O município de Neópolis foi fundado com o nome de Santo Antônio de Vila Nova, elevado à categoria de freguesia em 18 de outubro de 1679. As terras foram doadas a Antônio de Britto Castro, pelo rei de Portugal, com o compromisso de serem construídas no local, 30 casas, cadeia, pelourinho e casa de câmara.

Em 1683, o filho do donatário, Sebastião de Britto de Castro, requereu a nomeação em substituição a seu falecido pai. Em decorrência disso, a Coroa procurou informação para saber se as cláusulas da doação tinham sido cumpridas. Ele informou, em 1689, que todas as exigências da doação haviam sido cumpridas, inclusive que a vila já contava 200 moradores. Para comprovar se a informação era verdadeira, em 29 de novembro de 1689 a Carta Régia manda o ouvidor de Sergipe fazer uma vistoria, quando foi constatado que o donatário não havia cumprido o acordo, como fora combinado. Os prédios eram frágeis, cobertos de palha, em vez de serem construídos de alvenaria e madeira para resistir à ação do tempo. Por causa disso, a vila volta ao patrimônio da Coroa, passando a se chamar Vila Real do São Francisco.

Em 1733, a povoação foi elevada oficialmente à categoria de vila com a denominação de Vila Nova Del Rei. Em 1817, ela perde quatro quintos do seu território para a criação da freguesia de Santo Antônio do Urubu de Baixo, hoje Propriá. Em 6 de março de 1835, recebe pela Lei provincial a categoria de comarca com a designação de Vila Nova do Rio São Francisco, compreendendo seu termo, Propriá e Porto da Folha.

Em 1857 a comarca foi transferida para Propriá. Medida que foi reparada tempos depois. Em 23 de novembro de 1910, a vila é elevada à categoria de cidade, através da Lei estadual 583, com a mesma designação de Vila Nova, sendo seu primeiro prefeito Antonio Ataíde. O decreto-lei nº 272, da Interventoria Federal no Estado, de 30 de abril de 1940, dá à cidade a designação de Neópolis.

O povo neopolitano sempre se fez presente às grandes decisões. Em 1710, revoltado contra os dízimos cobrados pela Capitania da Bahia, invade a cidade de São Cristóvão e se apodera do armamento da força pública, destitui os representantes do poder, chegando o capitão-mor Salvador da Silva Bragança a esconder-se, temendo ser morto.

Liderado por Bento de Mello Pereira (Barão do Cotinguiba), participa ativamente contra as revoluções pernambucanas, patrulhando aquela região da Província, ora invadindo a Câmara da florescente Vila do Penedo, em 1817, ora expulsando de Brejo Grande, em 1824, os irmãos Antonio José de Albuquerque Cavalcante e José de Albuquerque Cavalcante.

Em 6 de março de 1835 graças à lei provincial recebe a categoria de comarca com o nome de Vila Nova do São Francisco, compreendendo seu termo o de Propriá e de Porto da Folha, já no ano de 1857 a comarca foi transferida para Propriá, medida que foi reparada tempos depois através da lei estadual 583, de 23 de novembro de 1910, que elevou a vila à categoria de cidade com a mesma denominação de Villa Nova, sendo seu primeiro prefeito Antônio Ataíde. O decreto de lei 272, da Interventoria Federal no Estado, de 30 de abril de 1940, dá a cidade a designação de Neópolis (que significa cidade nova), e foi no ano de 1962, com apoio do deputado Cleto Maia, que o vereador Edgar de Melo Silva, representante do povoado de Carrapixo na Camara de Vereadores de Neópolis, o senhor Celso Resende, residente no povoado; iniciam o então chamado Projeto Cleto Maia para emancipação política da cidade de Carrapixo com relação à Neópolis. O projeto foi aprovado por meio da de lei nº1254 de 06 de abril de 1964 e publicado no Diário Oficial no dia 14 do mesmo mês. Contudo, com a Revolução de 1964, a lei é esquecida e só é reavivada após a promulgação da Constituição de 1988, com o movimento engendrado pela Associação Comunitária da região e apoio de alguns deputados, como Marcelo Deda, Luciano Prado, Nicodemos Falcão e Nelson Araújo. Em 1988 o Governador Sebastião Celso de Carvalho assina a promulgação da lei Cleto Maia, mas é somente a partir do dia primeiro de janeiro de 1993, que o povoado de Carrapixo passa à cidade de Santana do São Francisco, após as eleições de 03 de outubro de 1992, que possibilitaram a formação administrativa da nova cidade.

Neópolis é um importante município do Estado de Sergipe, tendo sido palco desse Mutirão de Diabetes, que teve suas ações Coordenadas pela Associação Sergipana de Proteção ao Diabético (ASPAD), entidade ligada a uma das suas apoiadoras Nacionais, a FENAD (Federação Nacional de Associações e Entidades de Diabetes), contando com o grande apoio da Prefeitura Municipal de Neópolis, que tem à frente de Suas atividades o Prefeito Amintas Diniz.

A secretaria Municipal de Saúde de Neópolis forneceu a infraestrutura para a realização do evento, além de cerca de 32 voluntários originários do seu quadro funcional, sem os quais o trabalho dificilmente sairia a contento em sua plenitude, a organização local ficou a cargo da Secretária Municipal de Saúde Conceição Vasconcelos.
Convém salientar que foi servido um delicioso café da manhã para usuários, funcionários e parceiros deste projeto.

A Secretaria Municipal da Saúde de Neópolis, através da Secretaria Conceição Vasconcelos juntamente com o Centro de Diabetes de Sergipe, realizou o mutirão em homenagem aos Pais, no mês em que reverencia e se homenageia esses bravos representantes de nossas vidas, das 8 às 12 horas na Rua do Bomfim (em frente ao SESP), Neópolis, Sergipe, realizando exames gratuitos de glicemia capilar, avaliação ponderal, exame dos pés, aferição da Pressão Arterial e orientações sobre diabetes.

O evento contou com o apoio da Universidade Tiradentes (UNIT) e alunos voluntários do curso de enfermagem da Universidade Federal de Sergipe, de Membros da Sociedade Médica de Sergipe (SOMESE), da ASPAD e do Centro de Diabetes de Sergipe, sendo Coordenado pela Associação Sergipana de Proteção ao Diabético (ASPAD), e pela Sociedade Brasileira de Diabetes-Regional-SE, com o apoio da Federação Nacional de Entidades e Associações de Diabetes (FENAD) e da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia Regional-Se, além de ter contado com o grande apoio que o Prefeito Amintas Diniz proporcionou para que pudesse ser realizado esse grande Mutirão de prevenção e diagnóstico do Diabetes.

Desenvolvimento do Trabalho

As atividades foram desenvolvidas no dia 29/08/2015, das 8 ao meio-dia, na Rua do Bomfim (em frente ao SESP), Neópolis, Sergipe.

Foram distribuídos materiais educativos, Jornal do Diabético e Um livro para crianças Diabéticas.

Foi realizada uma palestra pelo Dr. Raimundo Sotero (Endocrinologista) sobre prevenção e cuidados com Diabetes para a Equipe de Saúde do Município no dia 28/08/2015 no período de oito ao meio dia no auditório do Cine Teatro Abílio Curvelo de Mendonça.

Durante o período de realização do evento, foram distribuídos materiais educativos, panfletos educativos, Jornal do Diabético e Um livro para crianças Diabéticas, além disso, os pacientes que deram resultados alterados tiveram a oportunidade de serem atendidos individualmente pelos Doutores Sotero e Karin Faro Hagembeck (endocrinologistas). Além do que foram realizadas aferições da Pressão arterial, cálculos de IMC ( Índice de Massa Corpórea ),avaliação do pé e medidas de circunferência abdominal pelos alunos de fisioterapia, enfermagem e educação física da Universidade Tiradentes e Universidade Federal de Sergipe.

O mutirão foi organizado pela Acadêmica de Enfermagem, Thais Fontes, os exames de glicemia capilar foram realizados pelos estudantes de Biomedicina da Universidade Tiradentes e acadêmico de enfermagem voluntários da Universidade Federal de Sergipe.

Durante o Mutirão, que foi desenvolvido no período de 8 ao meio-dia, foi realizado exames de glicemia capilar, e medidas de circunferência abdominal pelos alunos de fisioterapia, Medicina, Enfermagem e Biomedicina da Universidade Tiradentes.

Os exames de glicemia capilar foram realizados pelos estudantes de Biomedicina, que contaram também com a colaboração dos estudantes de Enfermagem (UNIT/UFS), que também tiveram a oportunidade de realizar a aferição da Pressão Arterial, e de outra forma contaram com os estudantes de Medicina que fizeram uma orientação detalhada sobre os cuidados com o controle do Diabetes, enquanto isso os estudantes de Enfermagem fizeram a avaliação de altura e peso para cálculo do IMC (Índice de Massa Corpórea) no sentido de diagnosticar casos de sobrepeso e obesidade, e dos estudantes de Fisioterapia que realizaram uma cuidadosa avaliação do pé do diabético, até então desconhecida da grande maioria do publico presente.

Durante a realização do Mutirão se utilizaram monitores accu-check (Roche), e os indivíduos que deram resultados alterados foram inicialmente orientados pelo Dr. Sotero e pela Dra. Karin Faro Hagenbeck, e posteriormente encaminhados para Unidades Básicas de Saúde da cidade de Neópolis e/ou para o Centro de Referência da Cidade de Aracaju (CEMAR).

O objetivo da Campanha que é realizado periodicamente durante todo o ano, é conscientizar a população sobre Diabetes, ou seja, como evitar o seu aparecimento, como realizar seu diagnóstico precoce, e a melhor forma de conduzir um tratamento adequado.

Todas as atividades foram Organizadas pela Acadêmica de Enfermagem Thais Fontes e Coordenadas pelo Centro de Diabetes de Sergipe com o apoio direto da Associação Sergipana de Proteção ao Diabético (ASPAD), e a Coordenação Nacional da FENAD, contando, é lógico, com o fundamental apoio da Secretaria Municipal de Saúde de Neópolis.

Não Diabéticos com valores normais de glicemia: 102
Diabéticos com valores normais de Glicemia: 99
Não sabiam ser diabéticos com glicemias 100-150: 84
Não sabiam ser diabéticos com glicemias151-200: 102
Diabéticos com glicemias151-200: 63
Não sabiam ser diabéticos com glicemias201-250: 16
Diabéticos com glicemias201-250: 127
Não sabiam ser diabéticos com glicemias251-300: 11
Diabéticos com glicemia251-300: 13
Diabéticos com glicemia301-350: 32
Diabéticos com glicemia351-400: 22
Diabéticos com glicemia>400: dois. Totalização- exames realizados=673/ exames alterados=470(69,84%).

O objetivo da Campanha que é realizado periodicamente durante todo o ano, é conscientizar a população sobre Diabetes, como evitar, diagnosticar e tratar.

APOIOS:
Entidades:
Sociedade Médica de Sergipe (SOMESE)
Universidade Tiradentes
Alunos do Curso de Enfermagem da Universidade Federal de Sergipe
Fundação São Lucas
Prefeitura Municipal de Neópolis
Academia Sergipana de Medicina
Secretaria Municipal de Saúde de Neópolis
SBD – Regional de Sergipe
SBEM – Regional Sergipe

   

VOLTAR