Projeto da SBD busca ajudar pessoas com diabetes vítimas de desastres naturais

No último dia 25 de abril, o Nepal foi vítima de uma das maiores tragédias de sua história. O país asiático sofreu com o terremoto de magnitude 7,8, que atingiu a cidade de Katmandu e algumas regiões da Índia, causando destruição imensurável. Até o momento foram mais de 7 mil mortos e pelo menos 14 mil feridos no desastre, equiparando-se à tragédia da região na década de 30, quando um tremor de 8,3 graus atingiu o país contabilizando 10 mil mortes.

A partir de agora o Nepal terá que contar com uma contribuição muito grande da comunidade internacional para se reerguer, e a ajuda vai além das questões materiais. Todas as vítimas, sem exceção, precisarão de apoio neste momento, e aquelas que têm algum tipo de doença crônica, como diabetes ter uma atenção especial.

Pensando exatamente, em situações trágicas como estas causadas por desastres naturais, a SBD, após as enchentes, que assolaram a região serrana do Rio de Janeiro, iniciou, o desenvolvimento de um projeto que busca auxiliar as vítimas desses desastres naturais. Essas pessoas, além de perderem tudo, inclusive medicamentos, na maioria das vezes não encontram mais o suporte nos postos e hospitais da região devido à destruição. 

Um desastre natural é um grande evento adverso, causado por processos naturais da Terra, como inundações, ciclones, erupções vulcânicas, terremotos, tsunamis,  e outros processos meteorológicos. Causam perda de vidas e grandes danos econômicos. 

Segundo dados levantados pela Dra. Claudia Pieper, que está à frente do projeto da SBD, em 2012 foram 905 catástrofes naturais em todo o mundo, sendo que 93% foram desastres relacionados com o clima.

Um evento natural inesperado, dependendo da intensidade, pode chegar a causar um desastre quando ocorre em áreas onde existem populações  vulneráveis. Depois da tragédia, é preciso sobreviver e as pessoas com diabetes se deparam com mais um desafio pela frente, em relação a medicamentos e insumos. 

De acordo com os dados fornecidos pelo governo, foram 916 mortes e em torno de 345 desaparecidos, na tragédia na Região Serrana do Rio de janeiro, em 2011, sendo 180 em Teresópolis, 85 em Nova Friburgo, 45 em Petrópolis e duas em Sumidouro. 

Cerca de 35 mil pessoas ficaram desalojados em consequência deste desastre natural.  A tragédia foi considerada como o maior desastre climático da história do país, superando os 463 mortos do temporal que atingiu a cidade de São Paulo, Caraguatatuba, em 1967. A médica está levantando dados das principais tragédias para o desenvolvimento do “Projeto SBD Desastres Naturais”.  

“Na época dos temporais no Rio, médicos da região serrana do Estado entraram em contato com a SBD, solicitando ajuda para as pessoas com diabetes, que perderam tudo, inclusive seus medicamentos. Os postos de saúde e hospitais desta região também haviam sofrido com a destruição provocada pela grande ‘tromba’ d´água e deslizamentos de terra, não tendo recursos para ajudar”.

Ela explica que a partir daí surgiu a necessidade de se criar um projeto pela SBD para agir diante destes desastres naturais, que estão cada vez mais frequentes no Brasil. Segundo a Dra. Claudia, o projeto deverá passar orientações a população com diabetes tipo 1 ou do tipo 2 para sobreviver nestes momentos de crise.

“Estas orientações vão desde a conservação de insulina de forma emergencial; tipos de insulina e como usar uma substituição da mesma ou de medicamento antidiabético oral na ausência do que estava prescrito; recursos de higiene mínimos a serem utilizados para o manuseio e reaproveitamento de seringas de insulina e na automonitorização; alimentação e hidratação em momentos de escassez; e descarte do material utilizado, entre outras”, explica a médica.

Um dos objetivos da SBD é dar orientação técnica científica, com relação aos cuidados necessários para os desassistidos nos momentos de catástrofes e, também, criar uma espécie de “linha direta” com as entidades, para que possam doar medicamentos. “Todo apoio é importante para as pessoas com diabetes que sejam atingidas por desastres naturais”.

Situação do Diabetes no Nepal

Sabe-se que a região do Nepal, que conta com um pouco mais de 30 milhões de habitantes, faz parte dos seis países que integram a SEA (South East Asia) da IDF e apresenta um número significativo de pacientes com diabetes. Nos registros de 2014, 700 mil casos de diabetes foram notificados na região, o que torna ainda mais importante a atenção com relação a essa população.

Visto a preocupação e atuação das entidades médicas com as vítimas desses desastres naturais, o povo nepalês deverá ter o mesmo suporte que os haitianos tiveram após a tragédia de 2010 quando um terremoto devastou a capital do país.

A Sociedade Brasileira de Diabetes, junto com outras entidades relacionadas à doença, empenhou-se na campanha em prol das vítimas do desastre no Haiti. Na ocasião, a instituição doou cerca de R$ 10 mil e a ação chegou a arrecadar 15 mil.

Por: Cristina Dissat

 

VOLTAR

 

 

Você não tem permissão para enviar comentários

Mais Temas

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes