O fator de impacto como critério de avaliação da qualidade das publicações científicas


Prof. Dr. Daniel Giannella Neto
Professor Livre-Docente pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo;
Programa de Pós-Graduação em Medicina da Universidade Nove de Julho

Com o advento dos índices de citações criados pela Thomson Reuters que, entre os inúmeros segmentos de mercado que atua, é a maior agência de notícias do mundo incorporou a ideia do Fator de impacto cunhado por Eugene Garfield [1], fundador do Institute for Scientific Information (ISI).

A Thomson Reuters iniciou a publicação do Journal Citation Reports (JCR) em 1975 como parte do SCI e o Social Citation Index (SSCI).

O fator de impacto é usado para comparar diferentes periódicos de uma dada área. O sistema Web of Knowledge indexa 9.000 periódicos de 60 países das áreas de ciências e ciências sociais. O JCR oferece ferramentas quantitativas que ordena, avalia, categoriza e compara publicações científicas. O Fator de Impacto é uma dessas ferramenta que mede a frequência do número médio de artigos publicados por uma revista científica que é citado em um determinado período de tempo. O Fator de Impacto é uma razão entre citações e itens citáveis recentemente publicados. Assim, o Fator de Impacto de um determinado periódico é calculado pela divisão do número de citações do ano em curso e os itens publicados no periódico durante os dois anos prévios.

 

 

 

 

 

Após muitas críticas quanto a validade do Fator de Impacto, seu cálculo foi revisado e a fórmula representada na Figura 1 acima é, atualmente, preconizada [2]. Além do debate sobre a real utilidade da métrica das citações, a maioria das críticas é relacionada com a própria validade relacionada à autocitação, sua possível manipulação e seu uso inadequado. Outro aspecto criticado é o fato dos periódicos que publicam apenas artigos de revisão ou artigos originais e de revisão terem maior Fator de Impacto do que os periódicos que publicam apenas artigos originais. Finalmente, fatores como o número de periódicos por área de conhecimento, a variação do número de referências por artigo em cada área, ou o regionalismo de algumas áreas e periódicos têm sido aventados [3].

“The Impact Factor is not a perfect tool to measure the quality of articles but there is nothing better and it has the advantage of already being in existence and is, therefore, a good technique for scientific evaluation” [4].

 

 

 

 

 

 

 

Eugene Garfield, PhD (*1925-).
Chairman Emeritus. Institute for Scientific Information, hoje incorporado à Thomson Reuters.

VOLTAR

Você não tem permissão para enviar comentários

Mais Temas

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

secretaria@diabetes.org.br

SBD nas Redes