As mãos do paciente com diabetes mellitus

Dr. Mateus Dornelles Severo

  • CREMERS 30.576
  • Médico Endocrinologista
  • Doutor em Endocrinologia/UFRGS

É de amplo conhecimento que o diabetes mellitus pode causar problemas nos pés. Até pela gravidade do problema, com risco de amputação dos membros inferiores, os pés do paciente com diabetes sempre devem ser lembrados. No entanto, por ser uma doença sistêmica, o diabetes pode acometer outras estruturas do aparelho locomotor, como as mãos.

Estima-se que metade dos pacientes com diabetes tenham algum tipo de problema nas mãos. Além disso, muitas destas pessoas estão em idade avançada, e o comprometimento das mãos pela doença pode trazer grandes limitações às atividades diárias. Na presença de dor ou diminuição da mobilidade, tarefas simples como testar a glicemia capilar, preparar a dose da insulina, escovar os dentes ou abotoar uma camisa se tornam extremamente complicadas.

 

A seguir, uma lista das principais doenças das mãos que o paciente diabético pode apresentar:

1 - Síndrome do túnel do carpo: a síndrome do túnel do carpo é causada pela compressão do nervo mediano entre o ligamento carpal e as outras estruturas que compõem o túnel do carpo. O encarceramento do nervo dentro do túnel do carpo acontece devido a alterações do tecido conjuntivo que são maiores quanto maior for o tempo que o paciente convive com diabetes. Talvez seja a complicação mais comum nas mãos do paciente diabético, acometendo um em cada cinco indivíduos. Dor e perda de força são sintomas que levantam a suspeita.

2 - Limitação da mobilidade articular: alterações no colágeno que compõe os ligamentos induzidas pelo diabetes são responsáveis por rigidez não dolorosa das articulações das mãos. Diminuição da força de preensão, inchaço e dificuldades com movimentos finos são sintomas frequentes. Dependendo da população de pacientes diabéticos avaliada, a prevalência desta complicação vai de 8 a 58 porcento.

3 - Contratura de Dupuytren: caracteriza-se por contratura da fáscia palmar, causando nodulações na palma das mãos e deformidade em flexão dos dedos. Acomete de 16 a 42 por cento dos pacientes com diabetes, especialmente os que convivem há mais tempo com a doença.

 

 Contratura de Dupuytren.

 

4 - Tenossinovite flexora: caracteriza-se por nodulações e espessamentos do tendões e bainhas que fazem a flexão dos dedos, podendo literalmente "bloquear" um ou outro dedo na posição de gatilho. Até 20 por cento dos pacientes diabéticos apresentam este tipo de complicação, que costuma acometer o polegar, dedo médio ou dedo anular.

5 - Esclerodactilia diabética: por vezes confundida com esclerodermia, a esclerodactilia diabética causa espessamento da pele dos dedos, que ficam com aparência de salsichas. Esta complicação não causa dor, mas prejudica a mobilidade dos dedos. 

 

Esclerodactilia diabética.

 

6 - Distrofia simpática reflexa: é uma complicação pouco frequente, caracterizada por dor grave ou sensação de queimação da mão, associada a inchaço, alterações no turgor da pele e sinais e sintomas de comprometimento vascular. Quando a mão é acometida, pode haver dor e limitação no ombro do mesmo lado.

Como podemos perceber, as mãos do paciente diabético, especialmente os que convivem com a doença por muito tempo, podem apresentar diversas enfermidades. Logo, no caso de dor ou dificuldades motoras, o médico endocrinologista deve ser prontamente visitado para que o diagnóstico e o tratamento corretos possam ser providenciados.


Referência:
Musculoskeletal complications in diabetes mellitus. UpToDate OnLine. Disponivel em:

https://www.uptodate.com/contents/musculoskeletal-complications-in-diabetes-mellitus

Fale Conosco SBD

Rua Afonso Braz, 579, Salas 72/74 - Vila Nova Conceição, CEP: 04511-0 11 - São Paulo - SP

(11) 3842 4931

!-

secretaria@diabetes.org.br

-->

SBD nas Redes